logo
/ Nelson Antoine/UOL/Folhapress / Nelson Antoine/UOL/Folhapress
Foco 19/07/2021

Após madrugada fria, corpo é encontrado no centro de São Paulo

O corpo de um homem com idade estimada de 60 anos foi encontrado na manhã desta segunda-feira, 19, no entorno do Parque Dom Pedro II, na região central da cidade de São Paulo. A vítima não portava documentos e não foi identificada até o momento, segundo a Polícia Militar (PM), que suspeita que se trate de uma pessoa em situação de rua.

Na última madrugada, a capital paulista registrou temperaturas entre 10,2ºC e 13,1ºC na estação meteorológica da Sé. De acordo com o Centro de Gerenciamento de Emergências Climáticas (CGE), a cidade pode ter a temperatura mais fria do ano, com mínima de 5ºC na próxima madrugada.

De acordo com a polícia, o caso foi registrado no 8º Distrito Policial (Brás) como morte suspeita. O corpo não apresentava sinais de violência e passará por necropsia.

LEIA TAMBÉM:

A PM foi acionada para a ocorrência por volta das 5h40. A morte foi constatada por uma equipe do Samu, que também esteve no local.

Outras mortes envolvendo moradores de rua após madrugadas frias também foram identificadas em junho. Registros do tipo se repetem na capital paulista anualmente.

Em nota, a Prefeitura de São Paulo destacou que 171 pessoas foram acolhidas na madrugada desta segunda, com nove recusas. Além disso, foram distribuídos 200 cobertores. “Desde 30/04, foram contabilizados 13.793 acolhimentos, 1.153 recusas e 13.041 cobertores distribuídos”, afirmou.

O comitê para o “Plano de Contingência para Situações de Baixas Temperaturas – 2021” foi instituído no fim de abril e se estenderá até 30 de setembro deste ano. “A ação é reforçada sempre que a temperatura atingir um patamar igual ou inferior a 13ºC ou sensação térmica equivalente”, apontou na nota.

“A população também pode ajudar solicitando uma abordagem social pela Central 156 (ligação gratuita nas opções 0 e em seguida 3). O acionamento da abordagem pode ser anônimo, é importante informar o endereço da via em que a pessoa em situação de rua está (o número pode ser aproximado), citar características físicas e detalhes das vestimentas da pessoa a ser abordada”, encerrou.