logo
/ Marcelo Camargo/Agência Brasil / Marcelo Camargo/Agência Brasil
Foco 06/06/2021

Universidade do interior de São Paulo cria grupo de estudo sobre saúde trans

Objetivo é trazer a pauta de identidade de gênero, cidadania e cuidados em saúde dessa população

Por : Metro World News

A Unesp de Botucatu criou um grupo de estudos sobre a saúde de pessoas transgênero, o GESTrans (Grupo de Estudos em Saúde Transgênero).

A iniciativa nasceu no dia 25 de maio, com uma aula sobre Conceitos e Contextos sobre indivíduos transgêneros, ministrada pela psicóloga Priscila Tamarozzi.

O grupo surgiu com a reunião de alunos da graduação dos cursos de nutrição, biomedicina e medicina, com o intuito de disseminar informações e promover discussões sobre os temas da área da saúde envolvendo a população transgênero.

De acordo com a Antra (Associação Nacional de Travestis e Transexuais), a população Transgênero possui uma baixa expectativa de vida como consequência da marginalização e violência. Essa realidade vai de encontro ao despreparo na formação de profissionais da área da saúde em relação às demandas dessa população.

Como funciona exatamente?

O objetivo é trazer a pauta de identidade de gênero, cidadania e cuidados em saúde da população transgênero para o meio acadêmico.

Por meio de aulas e rodas de conversa sobre vivências, de forma online, o GESTrans cria um espaço de discussão e aprendizado para falar sobre identidade de gênero e necessidades das pessoas trans.

Além disso, os encontros virtuais são uma forma de colaborar para que os futuros profissionais da saúde estejam aptos a acolher a saúde transgênera em seu dia a dia pessoal e também no ambiente profissional.

Também está nos planos do grupo fazer com que outras pessoas da graduação e pós-graduação se sintam estimuladas a realizar projetos de pesquisa e extensão voltados ao tema.

Para acompanhar as próximas aulas e outros conteúdos relacionados ao tema, basta seguir @gestrans.unesp no Instagram.