logo
Pix / Foto: Marcello Casal Jr. / Agência BrasilPix / Foto: Marcello Casal Jr. / Agência Brasil
Foco 23/04/2021

Novo substituto do boleto, Pix Cobrança chega em julho

Os bancos iniciam no próximo dia 14 a fase de testes para a implantação do Pix Cobrança com data agendada e terão de obrigatoriamente oferecer a função a partir de julho. A nova ferramenta terá a mesma funcionalidade de um boleto bancário e era uma das mais aguardadas desde o lançamento do Pix, em novembro do ano passado. O cronograma foi divulgado ontem pelo Banco Central.

Mesmo no período de transição, entre 14 de maio e 30 de junho, as instituições participantes que não conseguirem proporcionar a experiência completa (leitura do QR Code e pagamento em data futura) terão que, no mínimo, possibilitar a leitura e o pagamento na data da leitura do QR Code, com todos os encargos e  abatimentos calculados corretamente. A partir de 1º de julho, todas as instituições financeiras precisam ser capazes de fazer a leitura e possibilitar o pagamento para data futura.

A ferramenta deveria estar em uso desde janeiro, mas o Banco Central tem adiado a estreia para permitir que os bancos façam adequações da tecnologia.

Outra novidade anunciada ontem é que o Pix Agendado, não vinculado a um Pix Cobrança, que é a possibilidade do usuário pagador fazer agendamento para data futura, por exemplo, passará a ser uma funcionalidade de oferta obrigatória a partir de 1º de setembro. A opção é facultativa desde novembro. 

Vale ressaltar que a leitura de QR Code é obrigatória neste momento para todas as instituições participantes do Pix. Já a oferta do Pix Cobrança é facultativa, sendo necessária apenas a oferta de serviço de geração de QR Code estático aos usuários recebedores.

O Banco Central também aprovou ontem a medida que garante que a partir do próximo dia 30 recursos recebidos do auxílio emergencial possam ser movimentados por Pix. A única exceção é para os casos de transferência para conta de mesma titularidade.