logo
Cemitério da Vila Formosa, em São Paulo / Alexandre Schneider/Getty ImagesCemitério da Vila Formosa, em São Paulo / Alexandre Schneider/Getty Images
Foco 14/04/2021

São Paulo tem 1.095 óbitos nas últimas 24 horas por Covid-19

As taxas de ocupação dos leitos de UTI registradas hoje foram de 84,9% na Grande São Paulo e 86,4% no Estado

Por : Metro World News

O Estado de São Paulo registra nesta quarta-feira (dia 14) 85.475 mortes e 2.686.031 casos confirmados de Covid-19. Nas últimas 24 horas foram 1.095 óbitos e 18.790 casos. Nesta terça-feira (13), o Estado contava com um total de 84.380 pessoas que perderam a batalha para a doença desde o início da pandemia.

Entre os infectados, 2.325.023 estão recuperados e, destes, 272.812 estiveram internados e receberam alta hospitalar.

Leia também:

Força-Tarefa de São Paulo fecha 2.475 festas clandestinas e comércios irregulares em um mês

Prefeitura de São Paulo oferece mais de 500 vagas na construção civil

O número de internações segue em declínio. São 25.260 internados, sendo 11.798 em leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) e 13.462 em enfermaria. As taxas de ocupação dos leitos de UTI registradas hoje foram de 84,9% na Grande São Paulo e 86,4% no Estado.

Fase Vermelha

Para continuar tentando evitar o contágio pela Covid-19, o Estado de São Paulo está atualmente na Fase Vermelha do Plano São Paulo. No dia 18, o Centro de Contingência da Covid-19 deve se reunir novamente para avaliar o avanço da pandemia.

Na Fase Vermelha, continuam as restrições de atendimento presencial em todos os serviços não essenciais, mas volta a ser liberada a venda de produtos e alimentos em lojas e restaurantes por delivery, drive-thru e retirada (na porta do comércio) , e também a reabertura de lojas de material de construção. Festas e aglomerações estão terminantemente proibidas.

O toque de recolher entre as 20h e 5h continua em vigor em todo o Estado.

O governo também recomendou que os empresários façam escalonamento do horário dos funcionários para evitar aglomeração  de pessoas no transporte público.

Quanto à Educação, as escolas voltaram a operar presencialmente, mas sem a obrigatoriedade de frequência e com no máximo 35% dos alunos por sala de aula.

A proibição de celebrações religiosas continua valendo em todo Estado após a determinação do Supremo Tribunal Federal, que decidiu que prefeitos e governadores têm autonomia para proibir a realização de cultos religiosos presenciais para combater a pandemia de Covid-19.