logo

A América do Sul e a região do Caribe ultrapassaram ontem a marca das 800 mil vítimas da covid-19, reportou a OMS (Organização Mundial da Saúde). Ao todo, foram 800,3 mil vidas perdidas na região em virtude do coronavírus.

Destas, 41% foram registradas no Brasil, que já soma mais de 336 mil mortos pela doença. O México é o segundo país mais afetado, com 321 mil vítimas, seguido pela Colômbia (64.293 mortes), Argentina (56.471) e Peru (53.138).

QUER RECEBER A EDIÇÃO DIGITAL DO METRO JORNAL TODAS AS MANHÃS POR E-MAIL? É DE GRAÇA! BASTA SE INSCREVER AQUI.

Os dados brasileiros são pouco superiores à representatividade da população na região. De 569 milhões de pessoas na América do Sul e Caribe, 210 milhões são brasileiras. Cerca de 36,9%.

A pandemia de covid-19 tem avançado brutalmente na região, especialmente influenciada pelas novas variantes mais contagiosas do vírus. A América Latina alcançou os primeiros 100 mil mortos em 24 de junho de 2020.

Foram necessários oito meses para a região atingir 400 mil vítimas, mas só outros cinco meses para dobrar o índice e chegar a triste marca de 800 mil mortos.