logo

A vacina CovonaVac, do laboratório chinês Sinovac, manteve os 50% de eficácia contra a variante brasileira P.1 do coronavírus,  de acordo com estudo realizado com 67 mil profissionais de saúde de Manaus.

De acordo com o médico infectologista da Fiocruz Julio Codra, responsável pelo trabalho, o resultado mostra que a vacina tem o mesmo nível de eficácia contra a variante brasileira, encontrada inicialmente em Manaus, do que o registrado nos ensaios clínicos iniciais.

Os dados ainda são preliminares e foram analisados após 14 dias da primeira dose ter sido aplicada. A pesquisa ainda avalia o impacto da vacina após as duas doses serem ministradas.

Ainda de acordo com Codra, os pesquisadores ainda avaliam o impacto do imunizante após a vacinação completa. “Pode ser muito maior do que 50%”, diz Codra.

O estudo oi realizado pelo grupo Vebra Cobid-19, que envolve pesquisadores nacionais e internacionais, servidores da secretária de saúde do Amazonas e São Paulo e tem o apoio da Organização Panamericana de Saúde (Opas).

O próximo passo da pesquisa do infectologista é avaliar a efetividade da CoronaVac e da Oxford/AstraZeneca em idosos nas cidades de Manaus , Campo Grande e São Paulo.