logo
/ Pixabay / Pixabay
Foco 07/04/2021

Mundo ganhou um novo bilionário a cada 17 horas

O mundo enfrenta a pandemia do século que já infectou mais de 132 milhões de pessoas. Países, assim como o Brasil, voltaram a ver parte da população incluída no mapa da fome em consequência dos efeitos da covid-19.

Mas apesar da crise que assolou o mundo em 2020, houve quem conseguisse ganhar muito dinheiro: 493 pessoas enriqueceram no ano passado o suficiente para, em 2021, entrar para o seleto grupo de bilionários organizado anualmente pela revista americana Forbes.

QUER RECEBER A EDIÇÃO DIGITAL DO METRO JORNAL TODAS AS MANHÃS POR E-MAIL? É DE GRAÇA! BASTA SE INSCREVER AQUI.

De acordo com a revista, em 2020, a cada 17 horas, surgiu um novo bilionário no mundo. A lista, divulgada pela publicação internacional ontem, reúne 2.755 pessoas: 86% deles viram o patrimônio ficar ainda maior no ano passado. Dentre os novatos, estão a modelo e influencer digital, a americana Kim Kardashian, e o brasileiro Guilherme Benchimol, fundador e CEO da XP Investimentos.

De acordo com a Forbes, a estreia de Kim Kardashian na lista de bilionários está ligada a suas empresas de cosméticos (KKW Beauty) e vestuários (Skims), além do dinheiro de patrocínios e reality show que comanda com outros nomes da sua família, o “Keeping Up With The Kardashians”, transmitido pelo canal de TV E!. Em outubro do ano passado, a Forbes estimava que o patrimônio da americana fosse de US$ 780 milhões, algo como R$ 4,3 bilhões pela cotação atual.

Com a população mundial em 7,8 bilhões de pessoas, os 2.755 bilionários representam 0,00035% de todas as pessoas do mundo. Juntos, valem US$ 13,1 trilhões. Os cinco mais ricos, por exemplo (Jeff Bezos, Elon Musk, Bernad Arnault, Bill Gates e Mark Zuckerber), concentram o equivalente ao PIB (Produto Interno Bruto) do estado de São Paulo. O acumulado dos cinco seria de US$ 699 bilhões, enquanto o PIB paulistano é avaliado em US$ 603 bilhões. Se fossem um país, os cinco bilionários estariam entre as primeiras 20 economias do mundo.

Falando em Brasil, os ricaços daqui começam a aparecer na lista da Forbes na 191ª posição, com Marcel Herrmann Telles, um dos acionistas controladores da Anheuser-Busch InBev, a maior cervejaria do mundo.

Abaixo, listamos os dez primeiros colocados no mundo e no Brasil. O ranking completo pode ser conferido em forbes.com/billionaires/.

Top 10 bilionários no mundo

  • 1. Jeff Bezos (Amazon)
    US$ 177 bilhões
  • 2. Elon Musk (Tesla)
    US$ 151 bilhões
  • 3. Bernard Arnault e família (LVMH)
    US$ 150 bilhões
  • 4. Bill Gates (Microsoft)
    US$ 124 bilhões
  • 5. Mark Zuckerberg (Facebook)
    US$ 97 bilhões
  • 6. Warren Buffet (Berkshire Hathaway)
    US$ 96 bilhões
  • 7. Larry Ellison (Oracle Corporation)
    US$ 93 bilhões
  • 8. Larry Page (Google)
    US$ 91,5 bilhões
  • 9. Sergey Brin (Google)
    US$ 89 bilhões
  • 10. Mukesh Ambani (Reliance Industries)
    US$ 84,5 bilhões

Os 10 maiores bilionários do Brasil (e sua posição no ranking mundial)

  • 191. Marcel Herrmann Telles (InBev)
    US$ 11,5 bilhões
  • 194. Jorge Moll Filho e família (Rede D’Or)
    US$ 11,3 bilhões
  • 358. Irmãos Safra (Banco Safra)
    US$ 7,1 bilhões
  • 451. Dulce Pugliese de Godoy Bueno (Amil)
    US$ 6 bilhões
  • 520. Alceu Elias Fieldmann (Fertipar)
    US$ 5,4 bilhões
  • 529. Luiza Helena Trajano (Magazine Luiza)
    US$ 5,3 bilhões
  • 539. David Velez (Nubank)
    US$ 5,2 bilhões
  • 622. Luis Frias (PagSeguro)
    US$ 4,6 bilhões
  • 638. Andre Esteves (BTG Pactual)
    US$ 4,5 bilhões
  • 807. Candido Pinheiro Koren de Lima (Hapvida)
    US$ 3,7 bilhões