logo
Foco
/ Ciclovia da avenida Paulista| Patricia Borges/Código 19/Folhapress / Ciclovia da avenida Paulista| Patricia Borges/Código 19/Folhapress
Foco 05/04/2021

Antecipação de feriado não aumenta isolamento

Criado pela Prefeitura de São Paulo para aumentar o distanciamento social no momento em que a capital atravessa a crise mais aguda da pandemia, o megaferiado não surtiu o efeito esperado.

Determinada com o objetivo de reduzir as atividades econômicas e a circulação de pessoas para frear a covid-19, a antecipação dos dias festivos fez o isolamento subir apenas 0,4 ponto percentual, em média.

QUER RECEBER A EDIÇÃO DIGITAL DO METRO JORNAL TODAS AS MANHÃS POR E-MAIL? É DE GRAÇA! BASTA SE INSCREVER AQUI.

No intervalo do megaferiado, a média de isolamento ficou em 44,4%, com pico de 50%. No período anterior, a média havia sido de 44%, com pico de 51%. O ligeiro aumento não foi suficiente para fazer a capital alcançar o mínimo considerado adequado pelas autoridades nessa fase emergencial, que é de 50%.

A falta de engajamento no megaferiado pode ser percebida pela grande movimentação de clientes nos comércios e nas aglomerações em vias públicas e em festas clandestinas, que continuam a ocorrer.

Também foi intensa a presença de pessoas nas ruas, parte delas fazendo atividades físicas, o que fez lotar as ciclovias e os arredores de praças e parques. Alguns praticantes desrespeitaram os protocolos e se exercitaram sem máscara ou em grupos. 

A antecipação de cinco feriados municipais começou no último dia 26 de março e terminou na quinta-feira, 1º de abril. Ao todo, porém, foram 10 dias de recesso, contando com dois fins de semana e com o feriado de Sexta-Feira da Paixão, que é nacional e foi mantido. O ciclo terminou ontem, no domingo de Páscoa.