Estudo brasileiro sobre sequelas cognitivas pela Covid-19 pode virar referência da OMS

Por Metro World News

Um estudo inédito sobre as sequelas cognitivas deixadas pela Covid-19 realizado no InCor (Instituto do Coração) pode virar referência para a OMS (Organização Mundial da Saúde).

Os primeiros resultados apontam que não só aqueles que tiveram a doença na forma mais grave sofreram com algum dano, mas também aqueles que tiveram sintomas mais leves, incluindo os assintomáticos.

Segundo a Lívia Stocco Sanches Valentin, neuropsicóloga do Incor do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP , professora da FMUSP e pesquisadora, o estudo teve início em março, quando se presumiu que a falta de oxigênio no cérebro ou no organismo humano poderia causar prejuízo nas funções cognitivas.

No início, foram avaliados 185 pacientes pelo estudo. Agora o Incor conta com 430.

É importante destacar que, com o diagnóstico precoce, o tratamento e o acompanhamento funcionam de forma mais eficiente, já que quanto melhor  e mais rápido for o estímulo, melhor a pessoa vai ficar no futuro.

Loading...
Revisa el siguiente artículo