Estudo aponta que Trump contribuiu para 40% mais mortes na pandemia

Por Metro

A política do ex-presidente norte-americano Donald Trump jogou no mesmo time da covid-19 e contribuiu para mais mortes pela doença no país. A avaliação é parte do estudo “Saúde na Era Trump”, publicado ontem por uma comissão de 33 especialistas na revista científica The Lancet.

QUER RECEBER A EDIÇÃO DIGITAL DO METRO JORNAL TODAS AS MANHÃS POR E-MAIL? É DE GRAÇA! BASTA SE INSCREVER AQUI.

Segundo cientistas dos Estados Unidos, Canadá e Reino Unido, se não fosse a  resposta “inepta e ineficiente” de Trump frente à pandemia, cerca de 40% das 460 mil mortes por covid-19 nos EUA poderiam ter sido poupadas. Eles chegaram ao número comparando a mortalidade no país com a de outras nações ricas, como Alemanha e França.

“O desprezo pela ciência e cortes nos programas globais de saúde e nas agências públicas impediram a resposta à pandemia de covid-19, causando dezenas de milhares de mortes desnecessárias”, diz a publicação.

Dentre as falhas compiladas pela publicação está o enfraquecimento do programa de saúde Obamacare – criado pelo ex-presidente Barack Obama – deixando ao menos 2,3 milhões de pessoas sem seguro de saúde.

“Em vez de incentivar a população dos EUA a lutar contra a pandemia, o presidente Trump rejeitou publicamente sua ameaça [apesar de reconhecê-la em particular], desencorajou a ação à medida que a infecção se espalhou e evitou a cooperação internacional”, afirmam os autores.

Entretanto, os cientistas apontam que Trump não foi o único responsável pela resposta desastrosa à pandemia. Para os pesquisadores, os EUA também possuem falhas sociais há décadas, como aumento significativo da desigualdade social.

Loading...
Revisa el siguiente artículo