2 em cada 5 franceses dizem recusar vacina

Por Angela Correa

Cerca de 37% dos franceses afirmam que definitivamente ou provavelmente escolherão não ser imunizados contra o novo coronavírus assim que a dose estiver disponível para seu grupo de idade. A pesquisa, publicada ontem pela plataforma de dados britânica Kantar, expõe o desafio dos governos ao redor do globo em convencer sua população sobre a segurança do imunizante.

De acordo com o estudo, os índices são consequência da confiança nos governos.

QUER RECEBER A EDIÇÃO DIGITAL DO METRO JORNAL TODAS AS MANHÃS POR E-MAIL? É DE GRAÇA! BASTA SE INSCREVER AQUI.

“A hesitação quanto à vacinação é maior na França, Alemanha e Estados Unidos, onde os cidadãos podem ter duas ou três vezes mais probabilidade de confiar em seu médico de família do que no governo central”, disse Emmanuel Rivière, diretor de pesquisas internacionais da Kantar. “Isso claramente precisa ser trabalhado nas campanhas [de incentivo] dos governos.”

Nos Estados Unidos, mais de 25% da população não pretende tomar a vacina. Já na Alemanha, o índice chega a 23%.

A hesitação relacionada ao imunizante foi um pouco menor na Itália, Reino Unido e Holanda. Nestes países, a porcentagem de rejeição à vacina está em 12%, 14% e 17%, respectivamente.

O estudo também mostrou que os homens geralmente são mais propensos a aceitar a vacinação, com 74% dizendo que definitivamente ou provavelmente seriam vacinados, ante 69% das mulheres. A desconfiança à vacina é maior entre os mais jovens. Mais da metade dos franceses de 25 a 34 anos disseram que não se vacinarão.

Em todos os países analisados pelo estudo, as preocupações com a saúde foram citadas como o principal fator na rejeição da vacina: quase metade dos entrevistados que afirmaram que não seriam vacinados disseram estar preocupados com a segurança, enquanto 29% disseram que gostariam de mais informações.

Loading...
Revisa el siguiente artículo