Polícia do Rio fecha laboratório que reformava próteses dentárias roubadas de cemitérios

Por Leandro Luz

A Polícia Civil do Rio de Janeiro descobriu um esquema de práticas ilegais realizadas por dois cemitérios, um em São Gonçalo e outro na Baixada Fluminense, em conjunto com um laboratório protético irregular. O fato aconteceu na última segunda-feira (1) e nesta ocasião, foi confirmado que o empreendimento realizava a reforma de próteses dentárias que eram roubadas dos corpos enterrados nos cemitérios.

Segundo o delegado responsável pelo caso, André Neves, a suspeita é de que coveiros estejam envolvidos no esquema ilegal, facilitado assim a aquisição do que viriam a se tornar as próteses, com um valor de aproximadamente 50% do geralmente praticado.

 

Leia também:

 

“Esse material era vendido clandestinamente. Há suspeita de coveiros envolvidos, pessoas responsáveis pela venda deste material para reciclagem nesse laboratório. Duas pessoas foram presas no laboratório. Eles alegaram que compravam de um revendedor e não de fábrica e que não sabiam que o material era adquirido dessa forma”, contou André.

A polícia trabalha agora para identificar quais as clínicas que adquiriram as próteses vendidas pelo laboratório. De acordo com o delegado Neves, ele acredita que os centros de tratamento dentário foram lesados e desconheciam a procedência real do material comercializado.

Por fim, de acordo com informações compartilhadas, os dois indivíduos detidos responderão por crime contra o consumidor e a saúde pública (Com UOL).

 

Loading...
Revisa el siguiente artículo