Brasil é o pior país do mundo na gestão da pandemia

Por Metro

Um estudo do Lowy Institute, de Sydney, na Austrália, colocou o Brasil na última posição de um ranking que avalia a gestão de 98 governos sobre o controle da pandemia do novo coronavírus.

Para formular a lista, foram considerados seis critérios: casos confirmados; mortes pela doença; casos e mortes por milhão de habitantes; proporção de diagnósticos positivos por testes; e exames feitos a cada mil pessoas. Os pesquisadores analisaram as 36 semanas seguintes de cada país após a confirmação do 100º caso de covid-19.

A China, país em que os primeiros casos da doença foram registrados, não foi avaliada por falta de transparência de dados sobre testagem.

QUER RECEBER A EDIÇÃO DIGITAL DO METRO JORNAL TODAS AS MANHÃS POR E-MAIL? É DE GRAÇA! BASTA SE INSCREVER AQUI.

Desde o início da pandemia, o governo brasileiro trocou de ministro da Saúde duas vezes, chegando a deixar a pasta sem um chefe titular por quatro meses – período em que o país passava pela primeira onda de casos.

A gestão da pandemia pelo governo federal também é marcada por falas do presidente Jair Bolsonaro, que minimizou a gravidade da pandemia e discursou contra o uso de máscaras e medidas de quarentena que fecharam o comércio. Ontem, o país tinha 43,1 mil casos e 1.054 mortes por milhão de habitantes.

Também entre os países pior colocados estão México, Colômbia, Irã, Estados Unidos e Bolívia – veja destaques na arte abaixo.

Já a melhor gestão, segundo o instituto, foi da Nova Zelândia, que se precaveu com duras políticas de lockdown e testagem em larga escala tão logo surgiram os primeiros casos no país – são 300 mil testes por milhão de habitantes. Ontem, a nação de pouco mais de 5 milhões de moradores registrava apenas 2.299 casos e 25 mortes pela doença.

Recortes

O levantamento do instituto australiano aponta um bom desempenho da Europa no enfrentamento da primeira onda da doença, mas com queda brusca após a chegada da segunda onda.

A Ásia e a Oceania conseguiram manter maior estabilidade durante o período analisado, e as Américas, no geral, foram pior avaliadas.

Considerando renda, países mais desenvolvidos atuaram melhor contra a pandemia do que aqueles em desenvolvimento. No fim do período analisado, porém, ambos se nivelaram com notas mais baixas.

O ranking

Estudo considerou casos, óbitos e capacitação para diagnóstico de 98 países; China não foi analisada por falta de informações

MELHORES
1 Nova Zelândia – 94,4
2 Vietnã – 90,8
3 Taiwan – 86,4
4 Tailândia – 84,2
5 Chipre – 83,3
6 Ruanda – 80,8
7 Islândia – 80,1
8 Austrália – 77,9
9 Letônia – 77,5
10 Sri Lanka – 76,8

12 Uruguai – 75,8
20 Coreia do Sul – 69,4
35 Emirados Árabes Unidos – 57,5
37 Suécia – 55,5
45 Japão – 50,1
55 Alemanha – 45,8
59 Itália – 40,4
61 Canadá – 39,5
66 Reino Unido – 37,5
73 França – 34,9
76 Rússia – 32
78 Espanha – 31,2
82 África do Sul
86 Índia

PIORES
89 Chile – 22
90 Ucrânia – 20,7
91 Omã – 20,3
92 Panamá – 19,7
93 Bolívia – 18,9
94 Estados Unidos – 17,3
95 Irã – 15,9
96 Colômbia – 7,7
97 México – 6,5
98 Brasil – 4,3 [em destaque]

Fonte: Lowy Institute

Loading...
Revisa el siguiente artículo