logo
/ Reprodução
Foco 25/11/2020

Promotoria quer que motorista que atropelou cicloativista responda por homicídio doloso

O promotor do Ministério Público de São Paulo responsável pelo caso da cicloativista Marina Kholer Harkot, atropelada e morta em novembro, defende que o motorista José Maria da Costa Júnior, de 33 anos, responda por homicídio doloso (quando há intenção de matar).

A promotoria tomou essa decisão baseado nas provas de que o motorista estava alcoolizado, dirigia em velocidade excessiva e fugiu sem prestar assistência à vítima após o atropelamento.

Atualmente, Costa Júnior responde por homicídio culposo (sem intenção de matar) e fuga do acidente sem prestar socorro.

A cicloativista Marina Kholer foi atropelada no dia 8 de novembro, um domingo, quando andava de bicicleta pela avenida Paulo VI, em Pinheiros.

Ele chegou a ser socorrida pelo SAMU, mas acabou morrendo no local.

Costa Júnior fugiu do local sem prestar socorro e passou pelo menos 48 horas foragido, até ser identificado pela polícia e se apresentar na delegacia, em companhia de seu advogado.