logo
Na Itália, profissionais de saúde enfrentam hospitais lotados | / M. Lapini/Getty ImagesNa Itália, profissionais de saúde enfrentam hospitais lotados |  / M. Lapini/Getty Images
Foco 30/10/2020

Covid-19: Cientistas atribuem segunda onda à mutação viral

Uma cepa mais infecciosa do coronavírus Sars-Cov-2 foi detectada por pesquisadores de duas universidades suíças, a ETH Zürich e a Universidade de Basel. Segundo o estudo publicado ontem, a nova mutação do vírus, apesar de ser mais contagiosa, não altera a gravidade dos sintomas da covid-19 e seria a responsável pela segunda onda de contaminações no continente europeu.

QUER RECEBER A EDIÇÃO DIGITAL DO METRO JORNAL TODAS AS MANHÃS POR E-MAIL? É DE GRAÇA! BASTA SE INSCREVER AQUI.

Chamada de 20A.EU1, a mutação do vírus já foi rastreada até a Espanha, Reino Unido e outros locais, como Hong Kong (região autônoma chinesa) e Nova Zelândia.

Até julho, ao menos seis países já teriam identificado a nova cepa viral e, segundo as universidades suíças, a variação do vírus se espalhou no continente em meio ao relaxamento de medidas para o verão.

Uma das autoras do estudo, a cientista Emma Hodcroft escreveu em página de rede social que acredita que a nova versão do vírus não deve afetar o desempenho das vacinas para covid-19 em desenvolvimento.