logo
Ministro da Saúde da Rússia, Mikhail Murashko / Stanislav KrasilnikovTASS via Getty ImagesMinistro da Saúde da Rússia, Mikhail Murashko / Stanislav KrasilnikovTASS via Getty Images
Foco 28/10/2020

Rússia pede aprovação emergencial da vacina

Aval da OMS pode dar respaldo para que o país comercialize as doses contra o novo coronavírus globalmente

A Rússia formalizou um pedido de uso emergencial da vacina Sputnik 5 na OMS (Organização Mundial da Saúde).

A solicitação foi feita pelo Fundo de Investimento Direto Russo e será avaliada pelo Programa de Pré-Qualificação da OMS. O órgão vai avaliar a qualidade, a segurança e a eficácia da dose.

QUER RECEBER A EDIÇÃO DIGITAL DO METRO JORNAL TODAS AS MANHÃS POR E-MAIL? É DE GRAÇA! BASTA SE INSCREVER AQUI.

Em nota, a entidade russa que coordena o desenvolvimento da vacina contra o coronavírus aponta que a eventual inclusão da Sputnik na “lista de medicamentos usados por organizações de compras internacionais e países” permitirá “a compra a granel de medicamentos” e distribuição global.

O governo da Rússia foi o primeiro a aprovar um imunizante contra o coronavírus, mas os estudos ainda não foram avaliados por organismos internacionais. A OMS disse em nota que pedidos de uso emergencial são confidenciais.

A vacina russa tem previsão de ser produzida e testada em fase 3 no Brasil, em uma parceria com o estado do Paraná.

A Sputnik 5 recebeu críticas de cientistas por conta do baixo número de pessoas testadas antes da aprovação. A imunização foi estudada em fases 1 e 2 antes de ser registrada, etapas em que os testes são feitos em dezenas de pessoas. A fase 3 requer milhares de voluntários.  A Rússia anunciou neste mês testes também com uma segunda vacina.

O país implantou ontem medidas para tentar conter a alta de casos de covid-19.   Bares e restaurantes terão de ficar fechados das 23h às 6h. O uso de máscaras passa a ser obrigatório em locais fechados de uso público, como táxis e elevadores.  De acordo com o último boletim oficial, a Rússia teve 16.550 novos casos de covid-19 e 320 mortes em 24 horas. O número de óbitos foi o maior já registrado no país desde o início da pandemia.  publimETRO com rádio bandeirantes e ansa