logo
O secretário estadual de Economia e Planejamento, Henrique Meirelles / André Porto/ MetroO secretário estadual de Economia e Planejamento, Henrique Meirelles / André Porto/ Metro
Foco 21/10/2020

São Paulo prevê corte de benefícios fiscais

O governo de São Paulo admite que o ajuste fiscal, aprovado na Assembleia Legislativa na semana passada, não será suficiente para tapar o rombo de R$ 10 bilhões nas contas públicas, previsto para 2021.

QUER RECEBER A EDIÇÃO DIGITAL DO METRO JORNAL TODAS AS MANHÃS POR E-MAIL? É DE GRAÇA! BASTA SE INSCREVER AQUI.

Em entrevista exclusiva à Rádio BandNews FM, o secretário estadual de Economia e Planejamento, Henrique Meirelles, disse que o projeto de lei, da forma como foi aprovado, vai gerar economia de R$ 7 bilhões. Ou seja, “só resolve 70% do problema”. Isso aconteceu porque os deputados relutaram em aprovar o pacote da forma que foi encaminhado pelo Executivo, que acabou fazendo concessões.

Para equalizar as contas, Meirelles diz que será preciso acabar com benefícios fiscais. O problema é que a medida é vista como brecha para aumento de impostos. O secretário, no entanto, garante que não haverá alta.

Ele também falou sobre o plano de retomada da economia. A expectativa é trazer para o estado R$ 36 bilhões em investimentos ao longo dos próximos dois anos com a concessão de rodovias, ferrovias e aeroportos. De acordo com o secretário, investidores de vários países já demonstraram interesse em investir no estado de São Paulo.