logo
/ Free images / Free images
Foco 20/10/2020

Jovem, negro e sem estudo: o perfil das vítimas de homicídio

O Brasil registrou aumento de 7,1% no número de MVI (Mortes Violentas Intencionais) no primeiro semestre de 2020 em comparação com o mesmo período do ano passado. As informações são do Anuário Brasileiro de Segurança Pública, divulgado na segunda-feira (19).

Das 25.712 vítimas de homicídios, mortes decorrentes de intervenção policial, latrocínio e lesão corporal seguido de morte nos seis primeiros meses do ano, 92,7% eram homens, 66,6% negros, 20,2% com idade entre 20 e 24 anos e, por fim, 42,4% tinham como escolaridade o ensino fundamental incompleto.

QUER RECEBER A EDIÇÃO DIGITAL DO METRO JORNAL TODAS AS MANHÃS POR E-MAIL? É DE GRAÇA! BASTA SE INSCREVER AQUI.

“Em 2019, as MVI tiveram uma redução de 17,7% em relação a 2018, saindo de 57.574 em 2018 para 47.773 em 2019. Contudo, esta oportunidade não foi aproveitada pelo país e, mesmo em meio à pandemia do novo coronavírus os homicídios voltaram a crescer”, diz trecho do anuário.

Quedas

O levantamento apresentou queda nos crimes contra o patrimônio no primeiro semestre deste ano. Roubos a pedestres diminuíram 34%, seguido por roubos de cargas (-25,7%), assaltos de veículos (-22,5%), roubos em comércios (-18,8%) e assaltos a residências (-16%). “Podemos associar a maior redução do indicador (roubo a pedestres) à menor quantidade de pessoas circulando pelas ruas durante o distanciamento social”, informa o estudo.