Lojistas defendem que shoppings continuem abertos por apenas 8 horas em São Paulo

Por Vitor Lupato - Rádio Bandeirantes

A lenta recuperação das vendas em shoppings está fazendo com que muitos empresários de médio e pequeno porte defendam a abertura por apenas 8 horas.

As chamadas "lojas satélites" ocupam aproximadamente 55% das áreas dos centros comerciais em todo o Brasil, em espaços entre 20 e 170 metros quadrados.

QUER RECEBER A EDIÇÃO DIGITAL DO METRO JORNAL TODAS AS MANHÃS POR E-MAIL? É DE GRAÇA! BASTA SE INSCREVER AQUI.

Vale Outubro

Em São Paulo, o funcionamento está limitado a 8 horas diárias por causa da pandemia, mas há pressão para que os estabelecimentos voltem a operar normalmente.

Presidente da Associação Brasileira dos Lojistas Satélites, Tito Bessa Junior afirma que o fluxo de clientes ainda não reagiu.

Dono de uma rede de lojas de roupa, Ângelo Campos tem 35 pontos de venda em 8 estados. Com uma estrutura menor por causa da pandemia, algumas unidades estão sendo transferidas dos shoppings para a ruas. Para ele, expandir o horário de funcionamento é muito caro para o retorno que teria.

A Associação Brasileira de Lojistas de Shopping defende a retomada dos centros comerciais como forma de fortalecer o faturamento. O presidente da Alshop, Nabil Sahyoun, destaca que, por causa da pandemia, as empresas podem aproveitar a flexibilização das leis.

Os lojistas apostam nas próximas datas comemorativas como Dia das Crianças, Black Friday e Natal para alavancar as vendas.

Em nota, a Associação Brasileira de Shopping Centers diz que a reabertura por mais horas é de absoluta urgência para a sustentabilidade dos negócios.

Loading...
Revisa el siguiente artículo