logo
Cliente de loja tem a temperatura medida em Assis, interior de São Paulo / Rodrigo Paiva/Getty Images
Foco 11/07/2020

Um mês após reabertura, comércio de São Paulo tem pouco movimento e prejuízos

Um mês depois da reabertura, o comércio de São Paulo acumula prejuízo e um baixo movimento. Nesse período, o faturamento caiu, em média, 80% comparado ao que era antes da pandemia do coronavírus.

Em um primeiro momento, por causa do plano de flexibilização, as lojas funcionavam por 4 horas diárias e com um capacidade limite de 20% de clientes.

Depois que a cidade passou à fase amarela, o funcionamento é de 6 horas e 40% de público.


De acordo com uma pesquisa da Federação do Comércio de São Paulo, o prejuízo ultrapassa a marca de bilhões de reais em vendas que não foram feitas.

A Fecomercio estima que 47 mil lojas vão falir em todo o país nos próximos três meses – pelo menos 10 mil, em São Paulo. A maioria é de pequena, média ou microempresa.

Ainda de acordo com a pesquisa, pelo menos, 80 mil pessoas já perderam o emprego com vendas na capital, desde março. Para a Fecomercio, essa é maior crise no setor nos últimos 40 anos.