Candidato democrata à presidência dos EUA não fará comício para evitar contágios

Por Metro World News com Ansa

O político Joe Biden, do partido Democrata, abriu mão de comícios eleitoreiros até o pleito deste ano nos Estados Unidos, marcado para novembro, no qual será escolhido o novo presidente dos Estados Unidos.

O anúncio foi feito nesta terça-feira (30). Biden deixou de fazer eventos de campanha durante a pré-candidatura, quando ainda concorria pelo posto de representante do partido Democrata nas eleições. O motivo é a preservação da equipe, do candidato e do público contra o novo coronavírus.

LEIA MAIS:
São Paulo chega a 15 mil mortos por covid-19; veja balanço de quarta
Estado e prefeitura estudam protocolo para reabertura dos parques em São Paulo

O democrata, ex-vice do 44º presidente norte-americano, Barack Obama, é grupo de risco da doença, tendo 77 anos. "Vou seguir as ordens dos médicos, não apenas para mim, mas para todo o país, e isso significa que não farei comícios", anunciou.

A decisão vai de encontro à postura do presidente Donald Trump, que retomou nas últimas semanas sua agenda de eventos públicos apesar de os casos diários de covid-19 terem voltado a crescer no país.

A convenção democrata, prevista para 17 a 20 de agosto, em Milwaukee, já reduziu o público máximo de 17 mil para apenas mil pessoas, e nem a presença de Biden está confirmada.

De acordo com a Universidade Johns Hopkins, os EUA contabilizam mais de 2,6 milhões de casos do novo coronavírus e quase 130 mil óbitos. Foram 44,8 mil contágios na última terça-feira (30), segundo maior número desde o início da pandemia. O recorde foi registrado em 26 de junho, com 45,3 mil.

Loading...
Revisa el siguiente artículo