Nova Zelândia reforça segurança nas fronteiras após 'importar' dois casos de covid-19

Por Metro World News com Ansa

Após efetivamente eliminar a transmissão comunitária do novo coronavírus em seu território, a Nova Zelândia recebeu dois casos "importados" da covid-19.

No dia 8 deste mês, o país declarou estar livre do vírus e levantou todas as medidas restritivas impostas após um rigoroso lockdown.

LEIA MAIS:
Por 9 a 1, STF decide manter Weintraub no inquérito das fake news
OMS: covid-19 pode voltar a ganhar força no Brasil e momento é de extrema cautela

A Nova Zelândia registra, de acordo com dados da Universidade Johns Hopkins, 1.506 casos da doença e 22 mortes, sendo considerado uma das melhores nações na gestão da pandemia no mundo.

Os novos registros ocorreram após autoridades sanitárias liberarem, sem fazer testes, duas pessoas do isolamento obrigatório após viagens ao exterior. Ambas foram liberadas para circular normalmente, porém acabaram testando positivo para a doença.

A primeira-ministra Jacinda Ardern chamou o caso de "falha inaceitável", afirmando que permitir que pessoas que estiveram no exterior deixassem o hotel sem fazer testes para o coronavírus é um "absurdo total".

Outras 320 pessoas que possam ter tido contato com a dupla que testou positivo estão sendo monitoradas. Os infectados vieram da Grã-Bretanha, e ficaram algum tempo no isolamento obrigatório em Auckland, porém foram autorizados a sair para visitar o pai em Wellington.

Depois do ocorrido, o controle de entrada e isolamento de pessoas pós-viagem sai das mãos das autoridades sanitárias e vai para a alçada do chefe da Defesa do país, Digby Webb. Assim, o exército passará a supervisionar todas as estruturas de quarentena e de isolamento instituídas no país, além de tomarem novas medidas de supervisão para garantir que a falha não se repita.

Loading...
Revisa el siguiente artículo