Casa de repouso é interditada na zona norte de São Paulo após surto de covid-19

Por Estadão Conteúdo

Uma casa de repouso foi interditada esta semana pela Vigilância Sanitária no bairro do Limão, na zona norte de São Paulo. Dois moradores morreram e outros dez são suspeitos de terem sido infectados pelo novo coronavírus.

Entre os funcionários, há quatro casos confirmados e outros cinco suspeitos, além de um óbito em investigação. Os residentes foram transferidos para unidades de saúde e casas de familiares entre os dias 18 e 19 de maio.

Veja também:
Novo estudo não encontra benefícios da cloroquina no tratamento de covid-19
Metrô e CPTM registram o menor índice de ocupação no feriadão, diz secretaria

VALE BANNER 1500x1250

O espaço, que funcionava há cinco anos, já estava em processo de interdição por "irregularidades físicas, higienização precária e denúncias de negligência", segundo nota da Secretaria Municipal de Saúde. Em uma entrevista à TV Globo, uma funcionária que não quis se identificar informou que os equipamentos de proteção eram reutilizados.

A proprietária do espaço, Regina Anis, disse que à emissora que quando a pandemia começou pediu para os funcionários economizarem o material, já que eles não estavam à venda nas farmácias.

No interior de São Paulo, já são 29 o número de idosos residentes em asilos que morreram após contrair a doença. Em todo o estado, são quase 600 centros de acolhimento públicos ou conveniados, abrigando cerca de 20 mil idosos. O maior número de mortes aconteceu em Piracicaba, onde 13 idosos morreram com a doença em dois asilos.

Loading...
Revisa el siguiente artículo