Em tempo de coronavírus, #partiu encarar os negócios online

Especialista do Sebrae explica como entrar nesse mercado

Por Metro World News

Para combater a disseminação da covid-19, os comércios não essenciais foram fechados para evitar aglomerações. Com isso, a saída para esses negócios continuarem em atividade tem sido a migração para o mercado online, mas existem alguns passos que devem ser seguidos na hora de se adaptar ao mundo digital.

“A exposição online tem que ser vista como uma nova vitrine”, disse o gerente de relacionamento do Sebrae-SP (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas de São Paulo), Alexandre Robazza, que explicou ao Metro World News como entrar no mundo dos negócios virtuais. O primeiro passo é se cadastrar no Google Business.

“Ele vai indexar o seu negócio às respostas de buscas relacionadas a sua atividade”, disse Robazza. Segundo o gerente do Sebrae-SP, o mais importante é cadastrar as palavras-chaves e expressões do seu negócio corretamente. “Vale buscar no Google Trends quais são as palavras que mais são usadas em buscas em relação ao seu tipo de empresa”, comentou.

As redes sociais também são importantes e merecem atenção. No entanto, é preciso dedicação para a construção de visibilidade nesses canais. Para Robazza, Facebook e Instagram são essenciais para divulgar sua vitrine, mas, alerta, eles não devem ser a sua conta pessoal.

Outra rede importante que também deve ser usada é o WhatsApp Business, que permite um contato mais direto com os clientes e a criação de um catálogo de seus produtos. A dica de Robazza é: “Sempre colocar um telefone de contato para atender o cliente, seja por mensagem ou ligação”.

Após se cadastrar nas redes sociais, a primeira coisa que se deve fazer é identificar o público que quer atingir. “Olhar suas características e diferenciais; entender o melhor nicho que quer atingir”, explica o gerente.
Tudo isso serve como orientação para o empresário construir sua comunicação e linguagem nas redes sociais.

O impulsionamento vem em seguida. É como se dá a propaganda na internet. Por quantias pequenas, os seus posts podem aparecer como anúncios nas redes sociais de pessoas que estão em busca de serviços ou produtos semelhantes. Os preços variam, mas, nos cálculos de Robazza, é possível fazer um bom impulsionamento com quantias entre R$ 100 e R$ 150.

Por fim, chega o momento de colocar o negócio no mercado de fato, em que há duas opções: o marketplace e os ecommerces próprios. “Para quem está começando, vale mais a pena ir para o marketplace”, disse o gerente do Sebrae-SP.

Isso porque a visibilidade da sua vitrine é maior em plataformas já conhecidas. Além disso, é possível aprender melhor os processos de entrega e avaliação do cliente.

Segundo Robazza, essas plataformas cobram comissões, mas o custo compensa. “O ecommerce próprio tem outros custos para o comerciante, como aprender a mexer com informática e a manutenção do servidor; além disso, o investimento em publicidade é maior, já que sua vitrine não está perto de outras”, explicou.

Cada caso é um caso 

Para o varejo e restaurantes é mais fácil de imaginar o comercio online, pois há produtos para serem entregues. Mas e os setores que não possuem essa facilidade, como serviços? “Nesse momento, podem ir para a rede social e produzir conteúdos para continuar se relacionando com os clientes”, disse Robazza. “É possível pensar em ‘faça você mesmo’ ou sobre curiosidades da área que atende”, completou.

MANUAL

1 – Google

Cadastrar o seu negócio, mesmo que seja um ponto físico no Google Business. Isso permite que ele apareça no Google dentro de uma busca relacionada a sua empresa, seja por serviços, produtos e até no Maps. O cadastro é gratuito.

DICA
É importante pensar com cuidado nas palavras-chaves que irá cadastrar junto ao seu negócio. Quanto mais bem pensadas forem as palavras-chaves, mais fácil de encontrar o seu negócio. Uma boa estratégia é procurar no Google Trends quais são as mais usadas em buscas relacionadas ao que tem a oferecer.

2 – Redes sociais

Criar canais de comunicação em todas as redes sociais, principalmente Facebook, Instagram e Whatsapp Business. É aqui que seu conteúdo vai ser mais facilmente disseminado. Por isso, as redes permitem maior contato com os clientes.

3 – Nicho de Público

Fazer um recorte bem específico do público-alvo que é o seu consumidor, pensando em idade, sexo, comportamentos específicos. Isso irá guiar a sua comunicação com os clientes nas redes sociais.

4 – Impulsionamento

Fazer um recorte bem específico do público-alvo que é o seu consumidor, pensando em idade, sexo, comportamentos específicos. Isso irá guiar a sua comunicação com os clientes nas redes sociais

5 – Entrega

Antes de ir para o mercado online de fato, é importante saber como será seu processo de estocagem, entrega e reentrega em caso de devoluções. Isso faz parte de um bom atendimento ao cliente. Tudo na internet gera avaliações, então é importante não ter notas ruins para que seu negócio continue ativo e seja recomendado para novos clientes pelas plataformas.

DICA
Os Correios possuem planos de entrega para pequenas e médias empresas. É possível ver no site.

6 – Canal de Venda

Há diversos sites e aplicativos, como marketplaces, mas é possível também criar um ecommerce próprio. Plataformas já conhecidas têm maior exposição. Já o ecommerce próprio não tem comissão, mas envolve outras despesas como aprender a mexer com informática, custo do servidor e maior investimento em publicidade.

7 – Serviços

Há diversos sites e aplicativos, como marketplaces, mas é possível também criar um ecommerce próprio. Plataformas já conhecidas têm maior exposição. Já o ecommerce próprio não tem comissão, mas envolve outras despesas como aprender a mexer com informática, custo do servidor e maior investimento em publicidade.

DICA
Para complementar a arrecadação, uma opção é pensar em como vender produtos usados no seu conteúdo. O YouTube é o segundo maior buscador da web. Se puder executar, pense em conteúdos que possam ser colocados em vídeo para ter maior visibilidade.

Loading...
Revisa el siguiente artículo