Adesão à quarentena cai em São Paulo

Dados mostram que redução de mobilidade caiu de 69%, no início da quarentena, para 56%; ideal seria 70%

Por Fabíola Salani, Metro World News

Há 15 dias, quando as medidas de isolamento social entraram em vigor no estado de São Paulo para diminuir a transmissão do novo coronavírus, a adesão foi maciça. Poucas pessoas e veículos eram vistos nas ruas, e um estudo do Instituto Butantan, em parceria com o Centro de Contingência para o Coronavírus do Estado de São Paulo, mostrava que, na capital, 66% dos moradores estavam em suas casas.

Passadas duas semanas, contudo, a adesão caiu. Na última quinta-feira ela era de 52,4% na cidade de São Paulo e de 51,8% no estado, de acordo com esse estudo, que usa dados de mobilidade de celulares.

Os números foram divulgados nesta segunda-feira no Palácio dos Bandeirantes, quando o governador João Doria (PSDB) anunciou que a quarentena no estado será prorrogada por mais 15 dias, desta terça-feira ao dia 22 deste mês. Outro número mostra a queda da adesão, esse no Brasil: dados do Waze compilados pelo BID (Banco Interamericano de Desenvolvimento) revelaram redução de 70% no tráfego de veículos no dia 24 de março em relação à primeira semana do mês passado e de 51% no último domingo.

“Para essas medidas [de isolamento social] serem efetivas, temos que ter acima de 70% de redução de mobilidade”, alertou o diretor do Instituto Butantan, Dimas Tadeu Covas. “É a única medida que nós temos eficaz para a redução da taxa de contaminação.”

O diretor mostrou uma projeção de casos e mortes por covid-19 no estado até a próxima segunda-feira, dia 13, com e sem redução da mobilidade. Sem nenhuma medida de restrição de convivência, na próxima segunda-feira haveria perto de 150 mil casos e quase 5.000 mortes. Com a quarentena, a perspectiva é de que no dia 13 o estado tenha cerca de 30 mil infectados e 1.250 óbitos.

O prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), disse que no último fim de semana o sistema de saúde da capital começou a ser mais pressionado, e a perspectiva, como reflexo, é de que hoje 25% dos 200 leitos do hospital de
campanha aberto ontem no estádio do Pacaembu (zona oeste) já estejam ocupados.

Então, para que a situação não piore ainda mais, #FicaEmCasa. Ou, se precisar sair por algum motivo urgente, #VoltaPraCasa.

Loading...
Revisa el siguiente artículo