Bolsonaro diz que Mandetta não tem 'humildade' e deveria ouvir mais o presidente

Por Metro com Estadão Conteúdo

O presidente Jair Bolsonaro disse na noite desta quinta-feira (2) que falta "humildade" ao ministro a Saúde, Luiz Henrique Mandetta.

Segundo Bolsonaro, Mandetta deveria ouvi-lo mais sobre as decisões no enfrentamento da pandemia do novo coronavírus. Apesar das divergências, o presidente afirmou que não pretende demitir o ministro "no meio da guerra".

Veja também:
Bolsonaro nega que haja hospitais lotados no Brasil: ‘não é tudo isso’
Brasil pode ter escassez de profissionais de enfermagem

"O Mandetta já sabe que a gente está se bicando há algum tempo. Eu não pretendo demitir o ministro no meio da guerra. Agora, ele é uma pessoa que em algum momento extrapolou. Eu sempre respeitei todos os ministros, o Mandetta também. Ele montou o ministério de acordo com sua vontade. Eu espero que ele dê conta do recado", disse Bolsonaro em entrevista à rádio Jovem Pan.

Questionado pela reportagem sobre as declarações de Bolsonaro, Mandetta respondeu: "Eu só trabalho, lavoro, lavoro".

O presidente declarou ainda que não se trata de uma ameaça a Mandetta, que diverge de Bolsonaro no enfrentamento à pandemia, mas afirmou que não existe ninguém "indemissível".

"Não é nenhuma ameaça ao Mandetta, não. Se ele sair bem, nenhum problema, mas nenhum ministro meu é indemissível. Todo mundo pode ser demitido, como cinco já foram embora. Eu acho que o Mandetta deveria ouvir um pouco mais o presidente da República "

Bolsonaro disse também que tem atuado para equilibrar as decisões do Ministério da Saúde e do Ministério da Economia. "Não tem nenhum problema com o Paulo Guedes, mas o Mandetta quer fazer valer muito a vontade dele. Pode ser que ele esteja certo, mas está faltando um pouco de humildade para conduzir o Brasil nesse momento difícil, e precisamos dele para vencer essa batalha com o menor número de mortos possível."

 

Loading...
Revisa el siguiente artículo