Lei garante sessão adaptada para autistas nos cinemas de São Paulo

Por Metro World News

O prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), sancionou nesta terça-feira (14) a lei que obriga os cinemas da capital a realizarem sessões adaptadas para autistas. O projeto, de autoria do vereador Rinaldi Digilio (Republicanos), foi aprovado na Câmara Municipal em dezembro e entra em vigor no mês de maio.

O texto prevê que cada sala de cinema tenha, no mínimo, uma sessão adaptada por mês. Isso significa que um cinema com dez salas deverá ter dez sessões mensais, sendo uma para cada sala.

Veja também:
Cracolândia tem tumulto com disparo e objetos incendiados; PM fica ferido
Prefeitura vai conceder terminais de ônibus à iniciativa privada por 30 anos

Durante a exibição do filme, as luzes deverão estar levemente acesas. O som do filme terá que ser diminuído e a exibição de publicidades, como trailers e propagandas de marcas, será proibida. Nas portas de acesso às salas, os cinemas terão que afixar o símbolo mundial do espectro autista. Os filmes exibidos devem ser apropriados às pessoas com TEA (Transtorno do Espectro Autista).

O estabelecimento que descumprir as regras será punido, inicialmente, com uma advertência. Em caso de reincidência, o cinema será multado em R$ 3 mil. Na terceira autuação, a multa sobe para R$ 10 mil e, na quarta, o local é interditado.

“São Paulo conta com um contingente estimado de quase 250 mil autistas, que não conseguem ir ao cinema, com exceção a projetos especiais. Uma política pública séria vai garantir esse acesso tão necessário para essas pessoas que já são tão excluídas”, afirmou Digilio.

Loading...
Revisa el siguiente artículo