Piranhas atacam banhistas no interior de São Paulo

Por Band.com.br

Para amenizar o forte calor, nessa época do ano muitas pessoas costumam procurar as prainhas de água doce. Além de se refrescar, esses locais também oferecem sossego e diversão.

Uma das cidades com essa atração é Pereira Barreto, no noroeste paulista. Nos últimos dias, porém, o município tem registrado ataques de piranhas, o que tem assustado os banhistas.

LEIA MAIS:
Centro Paula Souza tem curso gratuito de Design e Photoshop
Curso de Libras gratuito tem inscrições abertas em São Paulo

Pereira Barreto não registrava ataque de piranhas desde 1988, mas de novembro pra cá a história mudou. Só nos últimos dias, mais de 30 pessoas procuraram o hospital da cidade porque foram atacadas por esses peixes.

Para evitar novos ataques, a prefeitura instalou placas e colocou funcionários percorrendo a praia para alertar os banhistas.

A explicação para o ataque, segundo Vidal Haddad, professor e pesquisador da Unesp, seria a piracema – época de reprodução dos peixes. As fêmeas desovam na margem do rio e, para proteger os filhotes, os machos atacam.

“Elas [piranhas fêmeas] põem os ovos nas raízes dos aguapés, uma vegetação aquática, e o macho, que é incumbido de defender esses ovos, fica em volta, circulando”, explica Haddad.

Ainda de acordo com o professor, algumas medidas podem tomadas para evitar novos ataques. “Afastando essa vegetação [da praia], levando para o meio do rio, os peixes vão acompanhar. Pode ficar uma [piranha] ou outra ainda, mas como tempo vai diminuindo até acabar [a população de peixes perto da praia]”, acrescenta.

Loading...
Revisa el siguiente artículo