7 dicas para quem quer começar a empreender

Por Metro World News

Diante de um cenário onde o emprego formal, aquele com carteira assinada, está cada vez mais escasso, muitos brasileiros têm encontrado no empreendedorismo uma alternativa para pagar as contas no fim do mês.

Segundo dados do GEM (Global Entrepreneurship Monitor), o percentual de empreendedores no país tem aumentado nos últimos três anos. Em 2016, 36% da população entre 18 e 64 anos tinham um negócio próprio. O número subiu para 36,4% no ano seguinte e para 38% no posterior.

Veja também:
Hospedar cachorro no final do ano pode render até R$ 8 mil
Você sabe para onde vai o seu imposto?

Ou seja, seria como se a cada  dez adultos, quatro estivessem envolvidos com atividades empreendedoras, inclusive informalmente – o dobro des­de quando começou a pesquisa, em 2002.

Informais batem recorde

O Brasil encerrou o último trimestre deste ano, em setembro, com 93,8 milhões de pessoas ocupadas. No entanto, dessa parcela da população 41,4% estão em condição de informalidade, recorde desde o começo da série histórica, em 2012. Os dados são da Pnad Contínua (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio Contínua), divulgada pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

Apesar dos número promissores, no entanto, é preciso tomar alguns cuidados na hora de dar as caras e montar o próprio negócio.

A analista do Sebrae Minas Daniela Ferreira alerta que “há um risco inerente a este movimento, pois, na maioria das vezes, estes novos empreendedores não dispõem de planejamento mínimo para a abertura do novo negócio e não conhecem ferramentas básicas de gestão, estando, assim, despreparados para gerir uma empresa.”

Para os profissionais que estão fora do mercado de trabalho formal e analisam a possibilidade de abrir um negócio – ou para aqueles que têm uma ideia, mas não sabem como colocá-la em prática – a analista preparou algumas dicas.

1. Encontre seu propósito

A primeira dica é empreender fazendo algo que você gosta e faz bem feito. Muitos fazem do seu hobby ou sua paixão um negócio. O crescente mercado de cervejas artesanais, por exemplo, foi impulsionado por apreciadores da bebida. A maioria iniciou com uma pequena produção pessoal.

2. Valide sua ideia

Algumas pessoas acabam validando sua ideia por acaso, como, por exemplo, uma mãe que faz a decoração da festa de aniversário do filho, é elogiada pelos convidados e chamada por outras mães para decorar as festinhas de seus pequenos. A partir daí, pode começar uma história de empreendedorismo.

3. Não tenha medo de errar

Toda trajetória de sucesso tem erros e acertos. O erro faz parte do aprendizado, mas é importante calcular os riscos. Até onde você pode ir? É o que você deve perguntar a si mesmo. Além disso, tenha sempre um plano B em vista e ponha-o em prática, se for o caso.

4. Busque informações

É preciso conhecer o mercado e o valor do produto ou serviço que pretende oferecer. Tente entender o comportamento de clientes potenciais e, ao criar seu modelo de negócio, pense em preço, canais e estratégias de marketing. Com base nessas informações, revise suas hipóteses e reinicie o ciclo, se precisar, testando versões reformuladas e fazendo ajustes ou grandes mudanças.

5. Cliente quer solução e não problema

Tudo o que o cliente quer é que você entregue uma solução para o problema dele. Portanto, é fundamental captar seus anseios em detalhes. Assim, você terá o melhor dos mundos para empreender.

6. Empreender sem “bala de prata”

Abrir um negócio não é um tiro certeiro. Não tem como prever se ele será um sucesso ou um fracasso antes de começar a planejar. Por isso, faça o seu melhor!

7. Proporcione uma boa experiência

Pense na experiência que você quer criar. O consumidor atual procura muito mais do que produtos de qualidade e preço justo. Em um mercado complexo e cheio de opções, o que torna um cliente fiel são os fatores emocionais e a memória afetiva.

Loading...
Revisa el siguiente artículo