logo
Foco
/ Foto: Valter Campanato/Agência Brasil / Foto: Valter Campanato/Agência Brasil
Foco 23/09/2019

Caso Ágatha: Moro diz que morte de menina de oito anos foi um ‘evento infeliz’

O ministro Sergio Moro disse que a morte de Ágatha Vitória Felix, de oito anos, durante uma ação policial no Rio de Janeiro, foi um “evento infeliz” que está “em apuração”.

A declaração foi dada em Goiânia durante uma reunião para acompanhar o andamento do programa “Em Frente, Brasil”. O projeto enviou equipes da Força Nacional para combater a criminalidade na capital goiana.

Veja também:
Caso Ágatha: PMs envolvidos na ação devem prestar depoimento
Enterro de Agatha Félix é seguido de protestos e hashtag contra Witzel

Nesta segunda-feira (23), o ministro ponderou que o assassinato de Ágatha não deve prejudicar a avaliação do pacote anticrime, enviado por ele ao Congresso Nacional, em fevereiro.

Pacote anticrime

O presidente da República em exercício, general Hamilton Mourão, afirmou que, dentro de um clima de emoção, o caso da menina Ágatha, morta no Rio de Janeiro na sexta-feira (20), pode prejudicar a discussão do excludente de ilicitude no Congresso Nacional.

A proposta integra o pacote anticrime e prevê que policiais que matem durante o serviço não sejam punidos.

Questionado sobre a afirmação da família de Ágatha de que não houve confronto, Mourão disse que é a palavra de um contra o outro e que nessa região de favela, se um cara falar que foi o traficante, no dia seguinte, está morto.

Perguntado também sobre a opinião que tem sobre o excludente de ilicitude, Mourão disse que dois policiais morreram e que ninguém comenta e que parece que dois cachorros morreram.

Ele afirmou que tem que haver algum tipo de proteção, mas que é óbvio que a lei tem que valer para todos, então quem infringiu a lei tem que ser punido

Mourão afirmou ainda que o estado é que tem que ter o monopólio da violência e procurar de todas as formas possíveis a segurança da população