logo

Cientistas britânicos divulgaram uma análise forense que, segundo eles, pode ajudar a esclarecer a identidade do famoso serial killer “Jack, o Estripador”.

Publicada no Journal of Forensic Sciences, a pesquisa foi conduzida pelo Dr. Jari Louhelainen, professor de biologia molecular na John Moores University, em Londres, Inglaterra, e também pelo Dr. David Miller, que estuda andrologia molecular na Universidade de Leeds.

Os cientistas analisaram um tecido pertencente a Catherine Eddowes, uma das vítimas confirmadas do assassino. A partir de amostras de sangue no tecido, uma análise genética apontou para o DNA de Aaron Kosminski, um barbeiro polonês de 23 anos que viveu em Londres e foi, inclusive, apontado como suspeito na investigação.

Kosminski não foi preso, segundo a polícia, por “faltarem provas suficientes para acusá-lo pelos assassinatos”.

A identidade de Jack, o Estripador é um mistério desde a ocorrência dos crimes, entre Agosto e Novembro de 1888. Ele é apontado como culpado pelos assassinatos de pelo menos 5 mulheres em Londres.

Segundo os pesquisadores, uma versão mais completa do estudo será publicada em setembro deste ano.