Foco

Doria afasta suspeitos de cobrar propina para liberar propaganda ilegal

 A Prefeitura de São Paulo afasta cinco funcionários e aceita a demissão do chefe de gabinete da Prefeitura Regional da Lapa envolvidos com irregularidades na Lei Cidade Limpa.

Segundo reportagem, os agentes participavam de um esquema para cobrar propina de grandes empresas que querem anunciar lançamentos imobiliários ou vender carros.

No caso das faixas, utilizadas, principalmente, por construtoras, os fiscais cobram até 200 reais para não aplicar multas que começam em 10 mil reais.

Após a denúncia, o secretário interino das Prefeituras Regionais Fábio Lepique disse que pediu a abertura de investigação na controladoria e corregedoria para analisar a conduta dos profissionais.

Leia mais:
Após viagem de Doria, doações de chineses a SP somam R$ 8,5 milhões
Doria é acusado de racismo no Twitter após piada com chineses; internautas se dividem

O chefe de gabinete da Lapa, na zona oeste, Leandro Benko, pediu demissão, depois de ter sido gravado cobrando propina.

O irmão do secretário de Turismo, Laércio Benko, aparece dizendo que “todos precisam participar do esquema, inclusive o prefeito regional Carlos Eduardo Batista.

O secretário interino das Prefeituras Regionais Fábio Lepique defendeu um dos 32 escolhidos pelo prefeito João Dória para assumir as administrações locais.

A Prefeitura defende que desde o começo do ano intensificou a fiscalização da Lei Cidade Limpa. Além disso, ressaltou que não compactua com qualquer descumprimento da lei e nem será tolerante com nenhum ato de corrupção

 

Tags

Últimas Notícias


Nós recomendamos