Foco

Justiça nega pedido de prisão de homem que espancou ex-mulher em Volta Redonda

Apesar do pedido da Polícia Civil, a Justiça negou o pedido de prisão preventiva do homem que espancou a ex-mulher por mais de uma hora em Volta Redonda, no Rio de Janeiro.

O caso de Danila Areal ficou conhecido após ela postar um vídeo no Facebook, com as marcas da agressão.

 

 
A vendedora de Volta Redonda conseguiu a medida protetiva. Ainda assim, ela tem medo de ser agredida novamente.

Com as marcas da agressão escondidas pela maquiagem e o rosto menos inchado, a vendedora Danila Areal fez um novo vídeo no Facebook.

 

Esclarecendo!!!!

Posted by Danila Areal on Friday, June 2, 2017

Há pouco mais de uma semana, ela expôs na rede social a agressão sofrida pelo ex-marido Douglas William Santos Morais dentro do carro dela, em frente à casa de uma amiga, também em Volta Redonda.

Depois deste primeiro vídeo, Danila buscou uma delegacia para registrar a ocorrência.

Maria da Penha

A medida protetiva prevista na Lei Maria da Penha determina apoio à mulher, como impedir que o agressor entre em contato com a vítima e a família dela, a proteção de bens e até o abrigo para mãe e filhos em casas de acolhimento.

No entanto, a coordenadora do projeto Maria Maria, da União de Mulheres de São Paulo, que é um observatório da lei, critica a burocracia na aplicação das medidas.

Na cidade de Danila, Volta Redonda, no sul do Rio de Janeiro, existe uma rede de apoio. Mas esta não é a realidade do Brasil inteiro.

O Norte e o Nordeste são regiões que registraram a maior alta dos casos de feminicídio no país entre 2003 e 2013, segundo um relatório do Banco Mundial, divulgado neste ano.

Mas no estado do Amazonas, por exemplo, há apenas uma casa-abrigo, que fica em Manaus, para atender mulheres que muitas vezes levam dias para se locomover de barco de cidades do interior até a capital.

Um projeto de lei que institui a fiscalização do cumprimento das medidas protetivas foi enviado para a Câmara dos Deputados e ainda deve ser analisado.

A nacionalização da Patrulha Maria da Penha só está sendo estruturada depois de 11 anos da aplicação da Lei.

Tags

Últimas Notícias


Nós recomendamos