Foco

Vacinação contra a gripe no Rio tem pouca adesão, alerta prefeitura

A campanha de vacinação contra a gripe – a Influenza – termina sexta-feira e, segundo dados da SMS (Secretaria Municipal de Saúde), a procura da população alvo pela imunização está abaixo da expectativa. Até o momento, 838.522 doses foram aplicadas e a cobertura dos grupos prioritários está em 44,1%, quando a meta da prefeitura é alcançar 90%.

A vacinação tem como objetivo reduzir as internações, complicações e mortes em decorrência das infecções pelo vírus e é aplicada às vésperas do inverno, período de maior incidência da doença.

A imunização contra a gripe está disponível nas unidades de Atenção Primária (Clínicas da Família e Centros Municipais de Saúde), de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h. A campanha é voltada a idosos com mais de 60 anos, crianças entre 6 meses e 4 anos, trabalhadores de saúde, gestantes e mulheres até 45 dias após o parto – pessoas mais vulneráveis às complicações da gripe.

Estão sendo vacinados doentes crônicos, mediante apresentação de prescrição médica, além de professores dos ensinos Fundamental, Médio e Superior das redes pública ou privada, que deverão apresentar comprovação da atividade profissional, além de presos e funcionários do sistema prisional.

Entre os grupos prioritários, a pior cobertura até o momento (de apenas 24,5%) é a das crianças. Por isso, a SMS pede aos pais que não deixem de levar seus filhos às unidades de saúde.

Segura

A vacina é segura e protege contra as complicações da gripe. Estudos demonstram que ela pode reduzir de 32% a 45% o número de hospitalizações por pneumonias; de 39% a 75% a mortalidade global e, em aproximadamente 50%, as doenças relacionadas à Influenza.

Para quem tenha apresentado febre recente, recomenda-se adiar a vacinação até que o estado de saúde melhore. Portadores de doenças neurológicas e síndrome Guillain-Barré devem consultar um médico e seguir suas orientações. Já as pessoas com história de alergia grave e prévia a ovo ou a outro componente da vacina, não devem ser vacinadas.

Tags

Últimas Notícias


Nós recomendamos