Foco

Após megaoperação na cracolândia, traficantes e usuários ocupam outros pontos da região

A polícia prendeu 38 pessoas durante megaoperação na cracolândia, em São Paulo, no domingo (21), mas traficantes e dependentes químicos já ocupam outros pontos da região.

Um posto de gasolina na esquina da Rua Helvétia com a Avenida Rio Branco serviu de base para venda e consumo de crack entre domingo e segunda.

Depois de ser acionada 3 vezes por funcionários, a PM apareceu e dispersou o grupo, que saiu andando pelas imediações.

Governo e prefeitura dizem que a ação policial foi o primeiro passo para acabar com a cracolândia e que, agora, vão se intensificar ações sociais.

Em nota, a prefeitura de São Pauli informou que 300 pessoas saídas da cracolândia foram acolhidas emergencialmente no Complexo Prates e no CTA. Elas agora serão reencaminhadas pela Secretaria de Municipal de Ação e Desenvolvimento Social para outros centros de acolhidas. 12 dependentes químicos foram internados voluntariamente.

Ao menos 105 pessoas já foram encaminhadas a centros de acolhimento e tratamento e 40 agentes de saúde devem permanecer na região.

Segundo a prefeitura, equipes de Saúde, com 60 profissionais ao todo, realizarão cadastramento, diagnóstico e encaminhamento médico de pacientes. Até terça-feira será montado um CAPs (Centro de Atenção Psicossocial), numa carreta nas imediações da Rua Dino Bueno, para oferecer tratamento ambulatorial, com capacidade de atender 80 pessoas por dia.

Tags

Últimas Notícias


Nós recomendamos