Brasil

Esquema de segurança para depoimento de Lula é um dos maiores de Curitiba

As forças policiais que vão atuar na Operação Civitas, como foi batizada a estrutura que será montada em Curitiba para o depoimento do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva ao juiz federal Sérgio Moro no âmbito da Operação Lava Jato nesta quarta-feira (10), convocaram coletiva de imprensa para explicar o funcionamento dos esquemas de segurança. O número do efetivo policial não foi divulgado, mas forças da Polícia Militar (PM), Polícia Rodoviária Federal (PRF), Polícia Rodoviária Estadual (BPRV), Polícia Federal (PF) e Polícia Civil (PC) vão atuar.

De acordo com o Secretário de Segurança Pública, Wagner Mesquita, o planejamento policial está finalizado e em execução. “[O objetivo é] Propiciar que esse ato judicial transcorra da melhor maneira possível e [garantir] que qualquer manifestação ideológica seja feita conforme a lei e a ordem”, afirmou.

Além da PM, a Polícia Civil, a Polícia Rodoviária Federal (PRF) e a Polícia Federal (PF) fazem parte da operação. O número do efetivo não foi divulgado, mas a PM garante que não é o maior evento com exigências de segurança no Paraná. Pelo menos três helicópteros da PM e um da PC vão garantir a segurança pelo ar.

De acordo com Mesquita, o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) tem a previsão de que 36 ônibus se desloquem para Curitiba até o final da tarde. A maioria dos veículos que devem chegar em Curitiba saíram de São Paulo. Além dos que estão no trânsito, uma caravana de 20 ônibus chegou na capital paranaense pela manhã. Os visitantes já estão acampados em um terreno atrás da Rodoferroviária de Curitiba – uma área da União – no bairro Jardim Botânico, desde a noite de segunda-feira (8).

“A Polícia Federal está com o cargo de ficar dentro da Justiça Federal com efetivo suficiente para que ser garantido a audiência do ex-presidente Lula”, destacou o delegado da PF Rosalvo Franco.

Os bloqueios na região da Justiça Federal devem começar a partir das 23 horas desta terça-feira (9). Apenas pessoas credenciadas vão poder acessar a área. Quem tiver a credencial poderá ser revistado pelos agentes da PM e deverá comprovar a identidade. Mais de seis mil pessoas, entre moradores, comerciantes e trabalhadores, já foram cadastrados pela PM para poder circular no entorno do prédio da Justiça Federal.

De acordo com Wagner Mesquita, a informação inicial previa que o número manifestantes seria muito maior do que o que se espera para amanhã. “Ainda é cedo para dizer o montante de pessoas que vamos receber. A informação inicial era que seria mais de 300 ônibus e 20 mil pessoas, mas ao que se põe até momento talvez não chegue a esse montante”, destacou o secretário.

Escolta ao ex-presidente

Até o início da tarde desta terça-feira (9), Lula não solicitou apoio da PM ou da PF para reforçar a escolta. Na condição de ex-presidente, Lula já tem escolta de policiais do gabinete de Segurança Institucional de Brasília.

Além dele, a ex-presidente Dilma Rousseff também deve desembarcar na capital paranaense até amanhã. “Caso ele venha solicitar apoio de escolta nós vamos atender a essa necessidade. A partir do momento que tenhamos a informação da chegada dele, nós vamos nos adaptar. Temos policiais suficientes para garantir a segurança”, garantiu o Secretário de Segurança Pública do Paraná.

A senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR) já confirmou presença. Outros políticos paranaenses também devem comparecer. A assessoria do senador Roberto Requião (PMDB) informou que ele tem outro compromisso e não poderá comparecer.

Manifestações pró-Lula

O movimento Frente Brasil Popular, grupo solidário ao ex-presidente da República, organizou atos para dois dias em Curitiba. Na terça, a programação começa às 7 horas, com o Ato pela Reforma Agrária, no monumento Antonio Tavares, na divisa entre Curitiba e Campo Largo; conta com plenárias na Praça Santos Andrade durante a tarde; e termina às 21 horas com uma vigília pela “Democracia e os Direitos dos Trabalhadores” na Catedral. No dia seguinte, data do depoimento, as manifestações começam às 9 horas com a Assembleia Nacional dos Movimentos e Populares e termina às 18 horas com um ato na Boca Maldita, no Centro da capital.

Manifestações contra Lula

Os movimentos contrários ao ex-presidente devem ficar concentrados no Centro Cívico. Pela cidade estão espalhados cartazes, faixas e outdoors com uma caricatura do ex-presidente atrás das grades. A iniciativa foi financiada por diversos movimentos sociais.

Segundo o Secretário de Segurança Pública do Paraná, Wagner Mesquita, a manifestação será livre, mas qualquer ato de violência será reprimido: “Eles vão ter liberdade para fazer manifestações e comícios, fazer os movimentos próprios. A ideia é que não haja contato entre eles”, afirmou.

Tags

Últimas Notícias


Nós recomendamos