Foco

Tem saldo nas contas inativas do FGTS? Saiba como investir na casa própria

A partir do próximo dia 10 começam os saques do segundo lote das contas inativas do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) para nascidos em março, abril e maio. Os sortudos que tiverem saldo podem já ir pensando no que fazer com o dinheiro. Quer uma dica? Que tal investir na sonhada casa própria?

Já tem muita gente fazendo as contas, de olho na possibilidade de um financiamento imobiliário, acredita o advogado Eros Romaro, sócio do escritório Romaro e Paixão Advogados.

Leia mais:
Só 10% dos brasileiros usará saques do FGTS para compras e lazer, diz FGV
Trabalhadores podem ter dificuldades para saques do FGTS em lotéricas

“Como a liberação do dinheiro será simplificada, o trabalhador terá mais liquidez e condições para comprar um imóvel”. Além dos recursos das contas inativas do FGTS, quem for investir na compra de um imóvel pode ser favorecido também pelas novas regras do programa habitacional Minha Casa, Minha Vida, que ampliou a extensão das faixas de renda atendidas e estabeleceu um novo teto de até R$ 9 mil. Outra destinação possível para o dinheiro extra é pagar parcelas em atraso, ou antecipar a quitação do valor do imóvel.

O setor que atravessa um momento de poucas vendas e muitos cancelamentos dos contratos fechados nos últimos três anos deve voltar a se aquecer pela utilização desses recursos.

Momento é bom
O advogado Eros Romaro afirma que é um ótimo momento para compra de imóveis, especialmente se for para uso próprio, moradia ou de comércio. “Como o mercado está atravessando um período de crise, com poucas vendas e muitos distratos, os preços estão mais baixos, ou subiram abaixo da inflação. “As construtoras estão com estoque de unidades, o que favorece o comprador no momento da negociação, ainda mais se a compra for à vista, ou com o pagamento de uma boa entrada”.

Mas, se o trabalhador estiver interessado na aquisição de um imóvel como investimento, o advogado sugere cautela. “Embora os preços estejam mais baixos, não há perspectiva para valorização dos imóveis, e nem de aumento substancial no valor dos aluguéis. Há muita oferta de imoveis no mercado.”

Para o presidente do Secovi-SP (sindicato do setor imobiliário), Flavio Amary, o que faz a diferença, para quem pretende comprar um imóvel, seja para morar ou investir, é ter dinheiro, porque há margem para negociar. “Para quem tem capacidade financeira há muitas opções de escolha no mercado, não é preciso ser especialista financeiro para entender que o melhor momento para se comprar é quando há muitas pessoas vendendo esses produtos e serviços.”  METRO

Tags

Últimas Notícias


Nós recomendamos