Foco

Doria diz que vestir-se de gari é exemplo de igualdade

O prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), falou sobre os eventos de seu primeiro mês de gestão nos quais se vestiu de gari para lançar o programa Cidade Linda. Em conversa com o apresentador José Luiz Datena, no Brasil Urgente desta terça-feira (17), ele definiu o ato como um exemplo de “humildade, igualdade e trabalho”.

“O prefeito não vai [aos eventos da prefeitura] para posar para fotos; eu vou trabalhar, às 7h, igualzinho o trabalhador que ganha R$ 1,2 mil [de salário]. E o trabalhador se sente privilegiado”, declarou.

Doria também falou de seus planos para a Educação, cujo foco será na tecnologia. “Nós vamos fazer os CEUs 21, ou seja, os CEUs do século 21, que terão tecnologia. Hoje, a criança quer celular, tablet, elas querem o que as crianças da classe média querem”, disse. “Também vamos oferecer treinamento e aprimoramento para os professores”. Questionado sobre uma melhoria dos vencimentos dos docentes, o prefeito explicou que agora isso não será possível. “Não vou mentir, nesse momento, é preciso trabalhar com a preservação de empregos através da requalificação.”

João Doria fala sobre os planos para a Educação:

Para a Saúde, Doria apresentou, em conjunto com o secretário da pasta, Wilson Pollara, um plano de distribuição de remédios em conjunto com as redes de farmácia. “No Posto de Saúde não dá certo, além disso, farmácia é o que não falta em São Paulo”. O sistema de logística ainda está sendo implantado e em breve será anunciado.

Redes de farmácia distribuirão remédios:

 

Marginais, pichação, enchentes e Cracolândia

O prefeito de São Paulo voltou a reforçar seu compromisso em aumentar as velocidades das marginais, o que deve entrar em vigor no próximo dia 25 deste mês. Doria explicou que haverá uma “sinalização forte” para que o motorista saiba em qual velocidade ele pode andar. Os radares móveis, porém, vão continuar. “Eles são necessários para fiscalizar os motociclistas, que hoje representam 2/3 das mortes nas marginais”, detalhou Sérgio Avelleda, secretário de Transportes, que acompanhou o prefeito na entrevista.

 

Sinalização forte e radares móveis nas marginais:

 

O prefeito também anunciou a retirada de ambulantes na região, para evitar atropelamentos.

Sobre os transportes públicos, Doria ressaltou que a cidade é a única do país que congelou a tarifa no setor. Ele não comentou, porém, a polêmica sobre o aumento das integrações entre ônibus e trens, uma parceria da Prefeitura com o Governo do Estado. Doria contou ainda que as empresas de ônibus passarão a ser fiscalizadas pelo usuário. “As empresas mal avaliadas serão penalizadas.”

Ainda durante a entrevista para o Brasil Urgente, João Doria falou sobre a limpeza daPonte Estaiada e sobre o combate contra a pichação na cidade. “Vou peitar quem precisar peitar; não tenho medo de nada. Para São Paulo ter controle, é preciso que a população denuncie os pichadores. Inclusive estamos fazendo um acordo para taxistas ajudem nessa fiscalização.”

 

Doria fala sobre a limpeza da Ponte Estaiada:

Sobre as enchentes , o prefeito admitiu que não dá para resolver o problema em quatro anos, mas que é possível amenizá-lo. “Faremos isso através do assoreamento, algo que o Estado já está fazendo; a limpeza dos córregos e também vamos inaugurar piscinões. São Paulo já tem 20, queremos inaugurar mais 19”. O prefeito citou ainda um programa de socorro que une o SAMU com o Resgate, dos Bombeiros, que pode auxiliar no auxílio das vítimas das enchentes. “Colocamos 14 novas ambulâncias na cidade e elas já estão funcionando.”

 

Planos da Prefeitura para minimizar os prejuízos causados pelas enchentes:

 

Por fim, João Doria voltou a falar de seus planos para a região da Cracolândia. Ele anunciou o programa Redenção, que prevê internação para os dependentes químicos. “Não é [uma solução] instantânea, mas será eficiente”, garantiu.

Prefeito quer implantar o programa Redenção na Cracolândia:

 

Tags

Últimas Notícias


Nós recomendamos