Foco

Candidato à Prefeitura da Serra, Gideão Svensson quer enxugar a máquina pública

selo-eleicoes-2016 eleicaoCandidato à prefeitura da Serra, na Grande Vitória, pela primeira vez, o vereador Gideão Svensson (PR) aposta que seu mandato na Câmara Municipal será uma boa referência entre os eleitores para levá-lo ao comando da cidade. O parlamentar defende mudanças na forma de gestão, que deve ser mais austera, e investimentos para melhorar o atendimento à população. Nesta entrevista, Gideão fala de suas propostas.

CANDIDATURA 

Há mais de 12 anos me preparo para este momento. Estou no primeiro mandato de vereador, mas sou contra o instituto da reeleição. Como vereador, pude fazer um mandato muito eficaz e atuante. Implantei um projeto-piloto, pioneiro aqui —  o gabinete itinerante –, com o qual pude ir a todos os  bairros, conhecer a realidade da administração pública, enxergando tudo o que precisa ser feito.

ATENDIMENTO 

Tenho desejo de contribuir ainda mais para a cidade onde moro, com a proposta de fazer com que as políticas públicas estejam voltadas mais para as pessoas do que para as  coisas. Por exemplo: muitas vezes, o gestor foca em obras que, lógico, são importantes, mas se esquece das pessoas. Não adianta estarmos com uma unidade de saúde em cada bairro, mas o atendimento ser precário para a população.

GESTÃO

gildeao-svenssonDiante do quadro do município, a prioridade deve ser a gestão pública. Nosso mandato será voltado para que tenhamos uma máquina mais enxuta e para que o dinheiro público seja usado com mais eficácia para atender à população, ter mais dinheiro nos cofres para investir onde mais precisa.

PLANO DE GOVERNO

Estamos construindo o plano de governo. É sintético e precisa ser incrementado com a participação popular. Queremos ter um projeto de governo muito participativo, ouvindo a população. Temos várias propostas, o plano de governo não é fechado. Elencamos pontos básicos, mas será construído a várias mãos,  com a sociedade. Tudo o que for trazer benefício à população vamos agregar.

SEGURANÇA

Tenho um raio-x, com base no meu trabalho de fiscalização no município, e segurança é um problema. A responsabilidade policial é do Estado, mas cabe ao município trabalhar a base, identificar por que tem violência, o motivo. Não adianta ter um policial para cada morador. Precisamos atacar a desigualdade, tirar essa gritante diferença social que existe em nosso município, trabalhar projetos sociais em bairros mais carentes, incrementar a Guarda Municipal armada.

EDUCAÇÃO

O primeiro ponto é a valorização do profissional da educação, além de melhorar a estrutura das unidades de ensino. Falta uma política de manutenção dos equipamentos públicos. Não adianta construir se não houver política de manutenção. Fiscalizei muito as escolas, fui a  quase todas, a maioria está abandonada, o caos total. Inclusive denunciei alguns casos, como o da escola de Feu Rosa, onde os banheiros feminino e masculino estavam sem porta. As escolas rurais estão em abandono total. Outro projeto é implantar o boletim on-line para que responsáveis possam saber, de casa, a nota da criança, seu desenvolvimento na escola, se estão na sala ou não.

SAÚDE

Falta gestão. Temos várias unidades de saúde, policlínicas, UPAs (Unidades de Pronto-Atendimento), mas o atendimento hoje deixa a desejar. Fiz uma experiência de campo e passei madrugada inteira na fila da unidade de Jardim Tropical. Cheguei bem cedinho para acompanhar as mães que estavam esperando o dia amanhecer só para pegar uma senha. Ou seja, era só um número e a expectativa de agendar consulta. Não é admissível não ter política pública que evite isso.

DESPREPARO

As pessoas que estão atrás dos balcões das unidades de saúde estão despreparadas, acham que estão fazendo favor para a população. E, não: são servidores e têm de atender bem. Ninguém vai à unidade saúde para passear, e sim porque tem necessidade. A porta de entrada da saúde é muito deficitária no município. Precisamos valorizar a questão do tratamento ao ser humano, investir no acolhimento dos que procuram as unidades.

DESAFIOS

Para mim, o maior desafio é a máquina pública. Vamos priorizar uma administração austera, com enxugamento da máquina pública, rever secretarias, função do subsecretário, revisar gasto com publicidade. Se não tivermos uma política austera, o município não consegue atender a suas necessidades básicas. Para mim, o importante é esse dever de casa. A próxima gestão tem que cortar na carne, senão ficará difícil manter o que tem, ainda mais fazer grandes obras.

ORDEM DE SERVIÇO

Precisamos rever as OS (Ordens de Serviço) e o gasto com eventos para essa finalidade. São milhares de reais, e a população não aprova mais essa prática, que até fere o princípio da impessoalidade pois o evento, muitas vezes, só serve para autopromoção do gestor. Defendemos que a OS seja dada no gabinete do prefeito ou na sede da associação de moradores, sem custo para o município.

EXPERIÊNCIA

O meu espelho é o meu mandato, minha atuação forte no Legislativo, buscando o interesse público para considerar meu nome a melhor opção para o município. Meu mandato como vereador é muito participativo, os moradores sabem como foi minha atuação. Além disso, tenho experência no Executivo, com passagem na Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano, que trata do crescimento da cidade, e na antiga Auditoria Geral, onde atuei como técnico, fiscalizando contratos e convênios do município. Tenho oito anos de experiência nessas duas secretarias, e outros quatro anos de vereador.

LIDERANÇA COMUNITÁRIA 

Fiz curso de Direito para me preparar para a vida pública. Não é para advogar, fazer concurso, mas para me capacitar. Comecei da base, como líder comunitário. Fui por 12 anos presidente da associação de moradores de Eurico Salles, exerci cargos na Federação das Associações de Moradores da Serra, um movimento forte e popular. Trago a experiência como líder  comunitário, bagagem do curso de Direito, experiência no Executivo e como vereador. Fiscalizei muito a Serra, tenho raio-x em quase todos os segmentos sobre a abrangência do poder público e o que precisamos fazer.

CONCORRÊNCIA

Os dois que estão concorrendo — o prefeito Audifax Barcelos e o ex-prefeito Sergio Vidigal — foram importantes para o município, deram sua parcela de contribuição, mas estão há mais de 20 anos no poder. Então, dentro da gestão pública, a renovação é importante, oferecer a oportunidade para uma gestão diferente. A política do atual e do que quer voltar são parecidas, todo mundo conhece. É preciso renovar, a gente percebe que os munícipes clamam por essa mudança. Por isso, inclusive, eu sou contra o instituto da reeleição.

CIDADE SUSTENTÁVEL 

Fui o único candidato a prefeito que assinou uma carta-compromisso com uma ONG internacional, baseando o plano de governo dentro do conceito de cidades sustentáveis. A proposta é crescer no aspecto econômico, social e ambiental. Em cada ação nossa, no plano de governo, sempre vai ter esses três pilares. Não pode ser crescimento a qualquer custo. Tem que haver planejamento, em que o meio ambiente seja respeitado, mas fazer isso de forma que o investidor que venha para o município não encontre a máquina emperrada, cheia de burocracia.  E que, o aspecto econômico se desenvolvendo, não seja deixado de lado o social, como já aconteceu.

Tags

Últimas Notícias


Nós recomendamos