Foco

Contra fraude, bilhete único ‘anônimo’ passa a ter restrições em SP

A partir desta segunda-feira (01), os usuários do bilhete único só poderão fazer créditos das modalidades semanal e diário (que vale por 24 horas) se tiverem o cartão cadastrado na SPTrans. Os chamados bilhetes anônimos – sem cadastro – só poderão receber créditos do tipo comum.

Com o bilhete comum, o passageiro paga a tarifa cada vez que usar um meio de transporte – no caso do ônibus, pode usar até quatro vezes em três horas pagando uma passagem. Já nos tipos semanal e diário, por um valor único pode-se usar o transporte quantas vezes quiser no período escolhido.

Essa vantagem vinha sendo usada de maneira fraudulenta: a pessoa carregava seu bilhete sem identificação com um dos dois tipos de crédito temporais e depois abordava usuários oferecendo a viagem a preços menores do que o oficial. O “cliente” passava a catraca do ônibus, metrô ou trem e devolvia o bilhete ao dono, que repete a abordagem com outros passageiros. Quanto mais vezes ele fosse usado, maior o lucro do fraudador.

Como era possível carregar qualquer bilhete único, cadastrado ou não, com as modalidades diário e semanal, os autores da fraude não eram identificados. Somente em junho, foram vendidas no total 13 mil cotas de semanal e diário a usuários sem cadastro.

A restrição, definida em conjunto por SPTrans, Metrô e CPTM (trem), vale por ao menos 30 dias. Para cadastrar um bilhete anônimo, o usuário deve acessar o site: bilheteunico.sptrans.com.br.  

Tags

Últimas Notícias


Nós recomendamos