Foco

OAB promove evento ‘Basta de Violência Contra a Mulher’ no Teatro Gazeta, em SP

Após o estupro coletivo de uma adolescente de 16 anos, no Rio de Janeiro, o debate sobre a violência contra a mulher no Brasil ganhou espaço nas rodas de conversa, nas redes sociais e nos noticiários. Engajada com o tema, a OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) vai promover, neste sábado (4), o evento “Basta de Violência Contra a Mulher”, no Teatro Gazeta, a partir das 9h da manhã.

A proposta do encontro será discutir a cultura do estupro, a culpabilização da vítima, a sociedade do espetáculo, a exposição de crimes contra a mulher na internet e a banalização da violência contra os vulneráveis da sociedade.

“É assombroso que uma mulher seja estuprada a cada 11 minutos no Brasil”, avaliou Kátia Boulos, presidente da Comissão da Mulher Advogada. Ela estará liderando o evento, junto com outras mulheres do meio jurídico que se mobilizam em torno do tema.

Veja também:

Milhares protestam contra cultura do estupro em São Paulo
Senado aprova proposta que proíbe algemar detentas em trabalho de parto

O presidente da OAB SP, Marcos da Costa, também se posicionou e afirmou que considera que o estupro é uma violência que afeta todos os cidadãos: “A OAB não se cala diante deste crime bárbaro que chocou os brasileiros. Exigimos apuração rigorosa e punição exemplar dos que cometem violência contra a mulher”.

Veja quem participará do evento:

  1. Luiza Nagib Eluf, advogada, ex-procuradora de Justiça do Ministério Público do Estado de São Paulo; a promotora de Justiça do Ministério Público do Estado de São Paulo,
  2. Silvia Chakian, membro da Comissão Nacional Permanente de Violência Doméstica do Ministério Público (COPEVID); membro colaboradora do Conselho Nacional do Ministério Público e assessora da Escola Superior do Ministério Público;
  3. Camilla Do Vale Jimene, advogada, especializada em Direito Digital, membro consultora da Comissão da Mulher Advogada da OAB SP, professora convidada da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas da Universidade de São Paulo (FIPE-USP), da Escola Paulista de Direito e da Universidade Presbiteriana Mackenzie, autora da obra «O Valor Probatório do Documento Eletrônico» e coautora da obra «Educação Digital»;
  4. Eunice De Jesus Prudente, advogada, membro Consultora da Comissão da Mulher Advogada da OAB SP, professora doutora da Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo e Diretora Técnica da Ouvidoria Geral do Estado de São Paulo.
  5. Albertina Takiuti, Coordenadora Estadual de Políticas para a Mulher do Estado de São Paulo.
  6. Célia Leão, deputada estadual
  7. Eduarda Mourão, advogada e presidente da Comissão Nacional da Mulher Advogada da OAB
  8. Gabriela Manssur,  promotora de Justiça do Ministério Público do Estado de São Paulo e diretora da Associação Paulista do Ministério Público Mulher

 

Tags

Últimas Notícias


Nós recomendamos