Foco

MP investigará decreto de Haddad que liberou o Uber em SP

O Ministério Público abriu inquérito para investigar se houve irregularidade no decreto do prefeito Fernando Haddad (PT) que regulamentou no mês passado o Uber e outros  serviços de transporte por aplicativos na capital.

A promotoria acolheu representação feita pelo vereador Adilson Amadeu (PTB), que defende a proibição dos serviços. A apuração tem como base o fato de o sobrinho do prefeito, Guilherme Haddad Nazar, trabalhar no Uber. Além disso, o ex-secretário de Negócios Jurídicos de Haddad Luís Fernando Massonetto é consultor jurídico da empresa.

Em nota, a prefeitura negou desvio de finalidade e declarou que, antes da regulamentação, já fiscalizava e cobrava tributos do Uber. A empresa não é parte no processo e disse estar à disposição para colaborar com as investigações. 

Veja também:
Motoristas do Uber e taxistas podem ser punidos após agressões no DF
Motorista é excluído do Uber após denúncia de assédio sexual

Tags

Últimas Notícias


Nós recomendamos