Foco

Só em MG, cerca de 35 milhões de animais são atropelados por ano

Esqueça as caçadas e o comércio ilegal de animais silvestres. No Brasil, o maior vilão da fauna é as estradas e os motoristas, que também acabam se tornando vítimas do risco apresentado pelos bichos na pista. De acordo com um estudo da Universidade Federal de Lavras (Ufla-MG), cerca de 475 milhões de animais silvestres são atropelados por ano nas rodovias do Brasil, uma média de 15 a cada segundo. Só em Minas Gerais, a estimativa é de 35 milhões de animais mortos anualmente.

Na avaliação do pesquisador da Ufla, Alex Bager,  que participou da elaboração do estudo, a estatística é um alerta para a necessidade de travessias seguras para os animais nas estradas, também responsáveis por graves acidentes. “Cerca de 90% dos animais atropelados são pequenos, que nem podem ser vistos como sapos, cobras e pequenas aves. Mesmo assim, existe o risco do atropelamento de animais maiores como tamanduás, lobos e onças, que traz o risco não só para a espécie, mas também para os carros”, afirma Bager.

Ainda de acordo com o pesquisador, no Brasil ainda não se há preocupação com realizar obras para travessia segura de animais em estradas. “A expansão desenfreada das cidades e, consequentemente, a diminuição das florestas naturais, é a principal causa desse problema. As rotas normalmente utilizadas acabam sendo interrompidas e, em busca de alimentos, muitos animais vão para além de seu habitat natural, chegam às áreas urbanas, e se submetem a esse e outros riscos”, analisa o especialista.

O estudo contou com a colaboração de um aplicativo chamado ‘Urubu Mobile’ e que é utilizado por mais de 17 mil pessoas em todo o Brasil. Disponível para Android e iOS, o app reúne as ocorrências de animais atropleados para ajudar na elaboração de planos que possam evitar novos acidentes. A ferramenta é simples. Sempre que o usuário encontrar um animal morto na pista, ele abre o aplicativo, tira uma foto e envia para o banco de dados, que é analisado por por cerca de 800 pesquisadores em todo o Brasil.

Atenção dos motoristas

O inspetor Aristides Júnior, da Polícia Rodoviária Federal (PRF), explica que para evitar colisões com animais, o motorista deve principalmente respeitar os limites de velocidade. “Esse cuidado permite que o condutor seja capaz de reagir adequadamente quando há algum bicho na pista. Ao avistar a sinalização, o motorista deve redobrar a atenção. Muitos motoristas ignoram essas placas, não diminuem a velocidade e os acidentes acabam acontecendo”, alerta o policial.  Segundo o inspetor, caso aviste algum animal na pista, é fundamental alertar as autoridades como a PRF ou a Polícia Militar Rodoviária para que o bicho seja retirado da pista com segurança.

 

arte olho na pista

Tags

Últimas Notícias


Nós recomendamos