Foco

Gastos de vereadores de São Paulo sobem 11% em 2015

A menos de um ano da eleição municipal, um levantamento da BandNews FM aponta que, mesmo com a crise econômica, os vereadores de São Paulo elevaram os gastos com a verba de gabinete.

Só no ano passado, as despesas somaram mais de R$ 11,5 milhões – uma alta de quase 11% em relação ao empenhado em 2014. Além da verba de gabinete, cada vereador de São Paulo recebe um salário de R$ 15 mil  por mês.

Três parlamentares dividiram a liderança do ranking: Eliseu Gabriel, do PSB, Juliana Cardoso, do PT, e Noemi Nonato, do PROS. Cada um deles gastou R$ 239 mil ao longo de 2015.

No caso da vereadora Juliana Cardoso, o principal gasto foi com a contratação de um escritório de advocacia para prestação de serviços jurídicos, como a emissão de pareceres sobre direitos humanos e a revisão de projetos – R$ 71 mil  reais no ano.  Ela argumenta que o gasto é legal e está dentro do que foi disponibilizado pela Casa.

Noemi Nonato, do PT, também usou a maior parte dos recursos na contratação de um escritório de advocacia para revisão de projetos, análise de vetos e outros atos de “natureza jurídica”.

Questionada, ela afirmou – em nota – que as despesas visam regular o funcionamento e assessoramento do gabinete e estão dentro dos limites estabelecidos pela Câmara.

O SAEG (Sistema de Auxílio de Encargos Gerais de Gabinete) determina o que pode ou não ser reembolsado pela Câmara Municipal.

Outro líder do ranking, Eliseu Gabriel, gastou quase R$ 60 mil com a locação de móveis e equipamentos, como computadores e impressoras, e, só em dezembro, desembolsou quase R$ 22 mil reais com o envio de correspondências pelos Correios. Ele alega que é preciso divulgar o trabalho feito ao longo do ano e que a Casa não cede computadores para todos os funcionários.

Untitled-13

Tags

Últimas Notícias


Nós recomendamos