Foco

Zuckerberg agradece volta do WhatsApp no Brasil

O fundador do Facebook, Mark Zuckerberg, comemorou a volta das atividades do aplicativo WhatsApp em todo o Brasil nesta quinta-feira. Em sua página da rede social, ele agradeceu à comunidade que usa o programa pela resolução do problema.

“O WhatsApp está de volta no Brasil! Suas vozes [dos brasileiros] foram ouvidas e o bloqueio foi suspenso. Obrigado à nossa comunidade pela ajuda para resolver isso!”, postou Zuckerberg por volta das 15h.

Na manhã desta terça-feira, Mark Zuckerberg havia usado também o Facebook para lamentar o bloqueio do aplicativo WhatsApp no Brasil. Na publicação, o fundador da rede social disse que sua equipe estava “trabalhando duro para reverter essa situação” e que esta quinta-feira era “um dia triste para o país”, já que os brasileiros sempre foram bons aliados para criações na internet.

Zuckerberg se disse chocado que os esforços em proteger informações pessoais “poderiam resultar na punição de todos os usuários brasileiros do WhatsApp pela decisão extrema de uma única juíza”.

Por fim, o fundador do Facebook e atual dono do WhatsApp, pediu para o povo brasileiro fazer “sua voz ser ouvida” e ajudar o governo a refletir a vontade de todos.

O criador do WhatsApp também usou as redes sociais para lamentar o ocorrido. Jan Koum disse que estava decepcionado com a decisão. «É ver o Brasil se isolar do resto do mundo», escreveu no Facebook.

A Justiça determinou o bloqueio do aplicativo de mensagens WhatsApp por 48 horas em todo o território nacional, a partir das 0h desta quinta-feira. As operadoras de telefonia que não cumprissem a determinação judicial estavam sujeitas a multa.

A decisão foi tomada porque o WhatsApp não atendeu reiteradas determinações judiciais desde julho que pediam a quebra de sigilo do aplicativo para que investigadores tivessem acesso a mensagens de suspeitos de integrarem uma facção criminosa, envolvida com tráfico de drogas.

A medida foi determinada pela juíza Sandra Marques, da 1ª Vara Criminal de São Bernardo do Campo, no ABC Paulista, no processo, que corre em segredo de Justiça.

Mark Zuckerberg fala em seu Facebook sobre a volta do WhatsApp - Reprodução/Facebook/Mark Zuckerberg
Mark Zuckerberg fala em seu Facebook sobre a volta do WhatsApp – Reprodução/Facebook/Mark Zuckerberg

Bloqueio de app é desproporcional, diz Anatel

O presidente da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), João Rezende, disse nesta quinta-feira (17) que considera a determinação do bloqueio do aplicativo WhatsApp por 48 horas desproporcional.

“Não há dúvidas que o WhatsApp tem que cumprir todas as determinações judiciais, mas por outro lado é desproporcional o bloqueio, porque isso afeta milhões de usuários”, disse Rezende à Agência Brasil.

O bloqueio foi determinado pela 1ª Vara Criminal de São Bernardo do Campo (SP) e começou a valer a 0h de desta quinta-feira em todo o Brasil. No entanto, uma liminar do desembargador Xavier de Souza, da 11ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de São Paulo, determinou hoje o restabelecimento do aplicativo WhatsApp no país, que deve estar normalizado até o fim da tarde.

Para ele, não há motivos para regulamentar o serviço no Brasil, como defendem as operadoras de telefonia. “Na regulamentação do setor, a Anatel é obrigada a garantir o acesso aos aplicativos na rede. O que as teles colocam é a questão tributária, que não é função da Anatel. Nós achamos que não há nenhum motivo para regulamentar o serviço”, defendeu.

Rezende disse que é usuário do aplicativo, mas utiliza mais para comunicações pessoais do que para o trabalho. Para ele, ficar uma manhã sem usar o WhatsApp não foi um grande problema. “Eu não sou viciado no WhatsApp, sobrevivo sem”, disse.

Tags

Últimas Notícias


Nós recomendamos