Brasil

Avançam acordos para delações premiadas na Operação Lava Jato

O lobista Fernando Baiano, apontado como operador do PMDB,  | Geraldo Bubniak/AGB/Folhapress
O lobista Fernando Baiano, apontado como operador do PMDB,  está próximo de assinar o acordo | Geraldo Bubniak/AGB/Folhapress

O número de delações premiadas da Lava Jato já reconhecidas pelo MPF (Ministério Público Federal), que hoje está em 28, pode aumentar nos próximos dias.

O lobista Fernando Baiano, apontado como operador do PMDB, e o ex-diretor de Serviços da Petrobras Renato Duque, ligado ao ex-ministro José Dirceu, estão próximos de assinar o acordo, segundo apurou o Metro Jornal.

Tanto Baiano quanto Duque tiveram que trocar de advogado. Os criminalistas que os defenderam nos últimos meses (respectivamente, Nélio Machado e Alexandre Lopes) já se disseram contra a delação.

O depoimento de Baiano é esperado pela possível citação a peemedebistas, inclusive os presidentes da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), e do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL). Baiano apresentou na última quarta suas alegações finais no processo da área internacional.

Já Duque, se tiver a delação aceita, pode atingir membros do PT, que controlava a diretoria de Serviços. Ele esteve com os procuradores na última quarta.

Outro empreiteiro que pode ter de trocar de advogado se quiser tentar delação é Marcelo Odebrecht. Um dos defensores dele, Augusto Botelho, também já se disse contrário à medida.  Procurada, a Odebrecht negou que tenha ocorrido qualquer conversa nesse sentido.

Tags

Últimas Notícias


Nós recomendamos