Foco

Greve afeta 4 milhões de usuários do metrô de Londres

Uma greve de 24 horas de funcionários e condutores do metrô travou Londres, a capital britânica, nesta quinta-feira e fez 4 milhões de londrinos passarem apuros para chegar ao trabalho.

Os representantes do metrô de Londres, o mais antigo do mundo, disseram que as composições ficarão paradas o dia todo por causa da paralisação. A greve acontece em resultado de uma discórdia em relação aos planos de novos serviços noturnos.

Os usuários que normalmente usam os trens subterrâneos tiveram de caminhar, usar bicicletas, disputar táxis ou espremer-se em ônibus lotados. Muitos, simplesmente, ficaram em casa.

O metrô transporta 4 milhões de passageiros por dia e mais de 535 trens operam nos horários de pico. Os representantes de transporte da cidade afirmaram ter aumentado os serviços de balsas e acionado 200 ônibus adicionais para lidar com o aumento da demanda.

Mas enormes filas nos pontos de ônibus serpenteavam pelas ruas nas proximidades das principais estações de metrô da capital.

Membros de quatro sindicatos de metroviários que representam funcionários – de condutores a gerentes – juntaram-se à paralisação, insatisfeitos com os salários e os termos oferecidos pelo metrô londrino para implementar o serviço 24 horas nos finais de semana em algumas linhas, o qual deve estrear em setembro.

O prefeito de Londres, Boris Johnson, afirmou que a ação é política, acusando os sindicatos de não terem interesse em fazer um acordo.

Tags

Últimas Notícias


Nós recomendamos