Foco

Ministro das Finanças da Grécia anuncia demissão para ajudar o governo

O ministro das Finanças da Grécia, Yanis Varoufakis, surpreendeu e anunciou sua demissão nesta segunda-feira, um dia depois da vitória do ‘não’ no referendo sobre a proposta dos credores.

Em um comunicado publicado em seu blog, Varoufakis afirma que considera que seu dever «ajudar (o primeiro-ministro) Alexis Tsipras a explorar, como desejar, o capital que o povo grego» entregou no referendo.

«Pouco depois do anúncio dos resultados do referendo, fui informado de que alguns membros do Eurogrupo e seus «sócios» desejavam minha ‘ausência’ das reuniões, um ideia que o primeiro-ministro considerou potencialmente útil para obter um acordo», escreveu Varoufakis.

Leia mais:
Gregos desafiam União Europeia com vitória expressiva do ‘não’ em referendo

«Por este motivo, deixo a partir de hoje o ministério das Finanças», completou o ex-ministro, que nos últimos meses teve muitas divergências com os credores.

Na mensagem ele também adverte que o resultado do referendo, no qual mais de 60% dos gregos rejeitaram as medidas de austeridade exigidas pelos credores internacionais, implica «um alto preço», assim como «qualquer luta pelos direitos democráticos».

«Portanto é essencial que este grande capital concedido ao nosso governo por este contundente ‘não’ na votação seja invertido imediatamente em um «sim» para chegar a uma solução idônea», que implique uma reestruturação da dívida, menos austeridade, uma redistribuição a favor dos necessitados e reformas reais, acrescentou.

Varoufakis reiterou que apoiar o primeiro-ministro Tsipras, o novo ministro das Finanças e o governo.

Yanis Varoufakis, que desde sua nomeação para o ministério ganhou fama por sua linguagem direta, teve muitos confrontos com o Eurogrupo.

Ele também afirmou que carregará com «orgulho» o «ódio» atribuído pelos credores.

Tags

Últimas Notícias


Nós recomendamos