Foco

Manter a Grécia na zona do euro ainda é objetivo, diz presidente do Eurogrupo

O referendo da Grécia tornou as negociações com seus credores mais difíceis, disse o presidente do Eurogrupo, Jeroen Dijsselbloem, a repórteres nesta segunda-feira, mas ele manifestou esperanças de que o processo pode ser salvo.

«Isso não nos traz mais perto de uma solução imediatamente. De fato, quando as propostas são rejeitadas isso só torna as coisas mais difíceis.»

Dirigindo-se a uma reunião do governo grego para discutir o voto de «não» na Grécia no domingo, Dijsselbloem disse que manter o país na zona do euro «ainda é o objetivo deles e o meu».

Leia mais:
Ministro das Finanças da Grécia anuncia demissão para ajudar o governo
Gregos desafiam União Europeia com vitória expressiva do ‘não’ em referendo

Referendo

Os gregos deram no último domingo, dia 5, um contundente «não» às políticas de austeridade da União Europeia e do FMI (Fundo Monetário Internacional). Com 95% dos votos apurados, 61,31% da população disse ser contra às exigências dos credores para liberar um novo pacote de resgate ao país, dando uma vitória maiúscula ao primeiro-ministro Alexis Tsipras, do partido de extrema-esquerda Syriza.

Logo nesta segunda-feira, o ministro das Finanças da Grécia, Yanis Varoufakis, surpreendeu e anunciou sua demissão nesta segunda-feira, um dia depois da vitória do ‘não’ no referendo sobre a proposta dos credores.

Em um comunicado publicado em seu blog, Varoufakis afirma que considera que seu dever «ajudar (o primeiro-ministro) Alexis Tsipras a explorar, como desejar, o capital que o povo grego» entregou no referendo.

Tags

Últimas Notícias


Nós recomendamos