Foco

Chargista de Maomé, Renald Luzier deixa o ‘Charlie Hebdo’

Luz segura edição do ‘Charlie Hebdo’ com Maomé | Reprodução/kameleon.ba

Renald Luzier, mais conhecido como “Luz”, um dos poucos cartunistas que sobreviveram ao ataque de militantes islâmicos contra o semanário francês “Charlie Hebdo”, em janeiro, decidiu deixar a publicação.

Luz desenhou a imagem de capa da primeira edição depois do ataque ao “Charlie Hebdo” – que vendeu cerca de oito milhões de cópias em todo o mundo, enquanto em uma época normal a tiragem era de cerca de 60 mil –, mas ele havia dito recentemente que deixaria de desenhar charges de Maomé.

Para os muçulmanos, qualquer representação do profeta é uma blasfêmia. Mas a primeira edição pós-ataque trazia na capa uma caricatura de Luz com um Maomé choroso que segurava um cartaz com a inscrição “Je suis Charlie” (“Eu sou Charlie”) sob as palavras “Tudo é perdoado”.

Relembre fotos marcantes da tragédia:

[metrogallerymaker id=»516″]
.
[metrogallerymaker id=»515″]
.
[metrogallerymaker id=»517″]
.
[metrogallerymaker id=»512″]

Tags

Últimas Notícias


Nós recomendamos